Início Coronavírus Rio de Janeiro vacina contra a covid-19 crianças nas escolas

Rio de Janeiro vacina contra a covid-19 crianças nas escolas

© Tânia Rêgo/Agência Brasil

Devem ser imunizados 200 mil alunos

A imunização de crianças da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro contra a covid-19, dentro do Programa Vacina na Escola, terá início nesta segunda-feira (14). A iniciativa foi lançada na quinta-feira (10) , quando começaram a ser enviados para os pais os folhetos informativos sobre a vacina e o pedido de autorização para vacinar os estudantes de 5 a 11 anos no ambiente escolar.

Publicidade

A expectativa da prefeitura é vacinar 200 mil estudantes pelo programa, uma parceria entre as secretarias municipais de Educação e de Saúde. Até o momento, o painel da vacinação municipal indica que foram imunizadas 312 mil crianças de 5 a 11 anos de idade, faltando 248 mil para tomar a primeira dose.

O município tem 1.307 escolas públicas que atendem estudantes nessa faixa etária entre 5 e 11 anos, com um total de 347 mil matrículas. Os responsáveis que ainda não tiverem levado as crianças para vacinar e estiverem interessados, devem assinar um termo autorizando a aplicação no ambiente escolar, a ser feita em um dia informado com antecedência.

No dia agendado, a aplicação da vacina será feita no fim do turno de aulas: pela manhã, entre 11h e 12h30, e à tarde, entre 15h30 e 17h. Os pais que quiserem acompanhar a vacinação pessoalmente podem chegar no horário informado. A previsão é que em 45 dias todas as escolas recebam as equipes de saúde para a imunização dos alunos.

Os diretores das escolas e os coordenadores estão sendo capacitados para informar os responsáveis pelos alunos sobre a importância e segurança da imunização e sobre como a ação será realizada em cada escola.

Saúde da Família

A outra ação de busca ativa da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pelas crianças não vacinadas é cruzar os cadastros da Estratégia Saúde da Família com os dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI). Dessa forma, será possível identificar crianças que não tenham registro da vacina da covid-19, além de outros imunizantes do calendário vacinal que possam estar em atraso.

Com isso, os agentes comunitários de saúde irão às casas dessas crianças e poderão vaciná-las no próprio domicílio, se o responsável estiver no local. Os responsáveis também serão orientados a comparecer na unidade de Atenção Primária para atualizar a caderneta de vacinação.