Início São José dos Campos Sesc São José abre inscrições para a segunda edição do curso Comunicação...

Sesc São José abre inscrições para a segunda edição do curso Comunicação Digital na Cultura

Mariane Assis - Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

A partir do dia 3 (terça), o Sesc São José dos Campos abre as inscrições para a segunda edição do Curso Comunicação Digital na Cultura.

Publicidade

Diferente da primeira edição, em que os cursos foram disponibilizados pelo canal do Sesc no youtube (comunicação digital na Cultura), a segunda edição vai acontecer pela plataforma Zoom e com inscrições prévias, em que os participantes podem escolher se inscrever para quais atividades desejarem.

Em quatro encontros, o curso aborda estratégias de comunicação e monitoramento de riscos, além de estudos de caso envolvendo ciência, educação, sustentabilidade, saúde, cultura, num diálogo com territorialidades e iniciativas no Vale do Paraíba e Litoral Norte e propicia aos participantes o contato inicial com a temática de Educação para a Redução de Riscos de Desastres (ERRD).

A programação é gratuita e acontece de 11 de agosto a 1º de setembro, sempre às quartas, 19h.

As inscrições podem ser feitas em https://inscricoes.sescsp.org.br/online/#/inscricao. O curso é recomendado para estudantes, educadores, pesquisadores, articuladores sociais, empreendedores digitais e demais interessados.

Confira a programação

1º. Encontro – Dia 11, quarta, 19h.

Metodologias de pesquisa para a conexão de pessoas na prevenção e resposta a desastres naturais.

Com Victor Marchezini, sociólogo e pesquisador no CEMADEN/MCTI. É professor no PPG em Desastres da Unesp/ICT -Cemaden/MCTI e no PPG em Ciência do Sistema Terrestre do INPE.

Victor Marchezini – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Abordagem de metodologias de pesquisa para conectar cientistas, gestores públicos e comunidades nas fases de prevenção e resposta a desastres, assim como os desafios de comunicação nesse processo. O encontro trará alguns elementos de pesquisas realizadas em São Luiz do Paraitinga.

2º. Encontro – Dia 18, quarta, 19h.

Rede de escolas e comunidades para a prevenção de riscos de desastres: a experiência do Programa CEMADEN Educação.

Com Rachel Trajber, doutora em Antropologia e Linguística. Coordenadora do programa CEMADEN Educação. Consultora em educação ambiental, mudanças climáticas e sustentabilidade.

Rachel Trajber – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

O programa visa gerar conhecimento e metodologias para uma cultura da percepção de riscos de desastres, no amplo contexto da educação científica e ambiental para a construção de sociedades sustentáveis e resilientes. A fase piloto teve início com três escolas públicas dos municípios de Cunha, São Luiz do Paraitinga e Ubatuba.

3º. Encontro – Dia 25, quarta, 19h.

Fundamentos da paisagem do Vale do Paraíba e Litoral Norte Paulista: áreas de risco e monitoramento.

Com Márcio Andrade, doutor em Geografia e pesquisador da área de Geodinâmica do CEMADEN/MCTI.

Marcio Andrade – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

O objetivo é trazer fundamentos para a compreensão da origem e ocupação da paisagem do Vale do Paraíba e Litoral Norte Paulista, a produção de áreas de risco geológico e perspectivas de monitoramento do risco geológico por meio de redes de equipamentos geotécnicos.

4º. Encontro – Dia 1/9, quarta, 19h.

Território e Saúde: abordagens espaciais para monitoramento da pandemia.

Com Mariana Carvalho de Assis, bolsista de Desenvolvimento Tecnológico Industrial

Mariane Assis – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

do CNPq no CEMADEN/MCTI. É geógrafa e Mestre em Sensoriamento Remoto pelo INPE. Atua em geoprocessamento, sensoriamento remoto e análise espacial de dados geográficos, com foco em linhas de investigação sobre a relação clima-ambiente-saúde e estimativa de população exposta a desastres através de novas tecnologias.

Abordagem da experiência de monitoramento da pandemia de COVID-19 em São José dos Campos visando auxílio no desenvolvimento de estratégias de contenção da doença pela disponibilização de informações geoespacializadas à gestão pública e às comunidades.