Início Pindamonhangaba Covid-19: Prefeitura de Pinda alerta sobre mensagens falsas solicitando documentos e dados...

Covid-19: Prefeitura de Pinda alerta sobre mensagens falsas solicitando documentos e dados pessoais

Marcello Casal Jr/Agência Brasi

A secretaria de Saúde da Prefeitura de Pindamonhangaba alerta a população sobre falsas mensagens que circulam na internet, especialmente whatsapp, sobre vacinação contra Covid-19.

Publicidade

A equipe da Saúde não faz ligação para pessoas e não envia mensagens de whatsapp solicitando foto de documento, da carteirinha de vacinação ou do braço vacinado.

Aliás, a nenhum órgão ou departamento da Prefeitura faz esse tipo de abordagem. Se alguém receber mensagens de whatsapp ou ligação com esse teor, pode ser um golpe.

O que a Prefeitura está fazendo em relação às pessoas que estão com a segunda dose em atraso é um serviço de busca ativa – com telefonemas para essas pessoas e procedimento bem simples, o qual quem atender o telefone vai apenas confirmar dados sobre a vacinação, como nome e data em que recebeu a primeira dose.

A ligação dos profissionais de saúde é rápida e em segurança. A Prefeitura procura por determinada pessoa e informa os dados. Assim, quem atender o telefonema terá apenas que confirmar as informações.

Em nenhum momento serão perguntados os dados pessoais e documentos da pessoa. Se isso ocorrer, a Prefeitura recomenda que a pessoa desligue o telefone, pois podem ser mal intencionados tentando aplicar de golpes.

“Nós, da Secretaria de Saúde, é que informamos os dados para que a outra pessoa apenas confirme. Nunca partirá de nós perguntar RG, CPF, endereço. Nós informamos os dados e a pessoa confirma. Havendo a confirmação, prosseguiremos com a orientação sobre a necessidade de tomar a segunda dose”, explicou o diretor de Proteção aos Ricos e Agravos à Saúde, André Pereira.

O objetivo é conscientizar o paciente e orientá-lo sobre a necessidade imediata de receber a vacina para que a imunização se complete. Das vacinas que necessitam de duas doses (Coronavac, AstraZeneca e Pfizer), a proteção completa contra o vírus só ocorrer após a segunda dose, conforme informações do Ministério da Saúde.