Início São José dos Campos Empresas fazem proposta de gerenciamento de dados do transporte em São José...

Empresas fazem proposta de gerenciamento de dados do transporte em São José dos Campos

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Duas empresas multinacionais e uma startup apresentaram nesta quarta-feira (25), propostas para o gerenciamento de dados e planejamento operacional do novo modelo de transporte público de São José dos Campos, previsto para entrar em operação no próximo ano.

Publicidade

Participaram do certame as empresas Scipopulis, Etra e Clever, que apresentaram três envelopes: o primeiro que trata dos documentos de habilitação, o segundo com a proposta técnica e o terceiro com a proposta de valores.

Point com Desconto Especial
Compre sua Point Pro 2. Reposição de Bobina e Frete Grátis

Nesta quarta-feira, foi feita a abertura do primeiro envelope. Os documentos serão avaliados pela comissão de licitações e passado o prazo para a apresentação de recursos, caso não haja contestação, é feita a publicação dos habilitados e da data de abertura do segundo envelope, que terá os mesmos prazos e trâmites até a abertura do terceiro envelope.

Modelo inovador

O futuro modelo de concessão é inovador justamente por separar a operação, tecnologia e o financeiro. O objetivo com essa divisão é ter empresas especializadas em cada uma das áreas e elevar a qualidade e modernização do serviço. O modelo proposto para o transporte público de São José tem sido referência para outros municípios e divulgado em outros países.

Maior conforto

Com veículos novos, mais modernos e menos poluentes, parte da nova frota oferecerá wifi gratuito, tomadas USB para carregamento de celulares, além de veículos com ar condicionado para atender os bairros mais distantes.

Menor tarifa

Diferentemente do contrato atual, vencido pela empresa que apresentou a maior outorga ao município, a futura concessão terá como vencedora a empresa/consórcio que apresentar a menor tarifa técnica.

Além disso, ações como a separação dos serviços de operação e tecnologia e investimentos vindos de outras fontes de recursos –como a aplicação de R$ 9,2 milhões arrecadados com a concessão da zona azul– ajudam a amenizar o valor da tarifa cobrada do cidadão, permitindo a entrega de um serviço com mais frequência de ônibus e maior conforto para os passageiros com um valor mais baixo de tarifa.

Demanda

Esse novo conceito de operação do sistema traz ainda a implementação de linhas responsivas à demanda, com a flexibilização parcial dos itinerários e das partidas. Esse modelo de transporte sob demanda é novo no país e surge para competir com o transporte individual.

Na prática, os usuários poderão por meio de aplicativo, assim como acontece atualmente com as empresas de transporte individual, solicitar uma viagem que terá tarifa fixa integrada ou variável.