Início Variedades Está se preparando para a Unicamp? Confira oito dicas para entender o...

Está se preparando para a Unicamp? Confira oito dicas para entender o perfil da prova

Foto ilustrativa/ divulgação/Assessoria de Imprensa

Poliedro Curso aponta principais estratégias para obter boa pontuação no vestibular da universidade; inscrições começam no dia 02 de agosto 

As inscrições para o vestibular da Unicamp, um dos processos seletivos mais concorridos do País, começaram no dia 02 de agosto e vão até 08 de setembro. A taxa é de R$180,00, e as datas das provas também já estão disponíveis: a primeira fase acontece no dia 07 de novembro, e a segunda nos dias 09 e 10 de janeiro de 2022. 

Publicidade

A Unicamp anunciou que irá seguir o mesmo modelo de aplicação utilizado no ano passado. Dessa forma, a primeira fase será composta por 72 questões objetivas e terá quatro horas de duração. 

Já a segunda fase será composta por dois dias de prova, com cinco horas de duração para cada uma. No primeiro dia, há uma redação, oito questões de Português e duas de Inglês. No segundo dia, os candidatos precisam fazer 22 questões, sendo que 12 variam de acordo com o curso escolhido. Cursos de Exatas e Tecnológicas fazem seis de Física e seis de Química. Para os cursos de Biológicas e Saúde, são seis de Biologia e seis de Química. Por fim, os cursos de Artes e Humanas resolvem seis de História e seis de Geografia.  

“As questões interdisciplinares são esperadas. No primeiro dia, duas questões de Inglês se misturam com Ciências Humanas e Ciências da Natureza. No segundo, são quatro ao todo: duas que dialogam com Ciências Humanas e outras duas com Ciências da Natureza”, explica Vitor Ricci, coordenador do Poliedro Curso de Campinas.  

Uma novidade para este ano é que os estudantes vão poder aproveitar a nota conquistada no Enem como forma de aumentar as chances para ingressar na universidade.   

Confira, abaixo, oito informações importantes apontadas pelo coordenador do Poliedro Curso de Campinas sobre o perfil da prova e que podem ajudar os candidatos a obterem uma boa pontuação nesse vestibular:   
 

  1. A prova trabalha com temas atuais   

A prova da Unicamp é bastante atualizada e traz notícias contemporâneas. Nas questões, a Unicamp exige a interpretação de textos, imagens e gráficos. Em Inglês, as redes sociais são frequentes entre as questões. É possível se deparar com memes e publicações de Twitter e Facebook, entre outros formatos. Por isso, saber fazer análises e correlações é essencial.   

  1. Em termos de dificuldade, tende a ser equilibrada   

A Unicamp tende a seguir um padrão de dificuldade para todas as disciplinas. Há questões simples e complexas. Nas primeiras fases da última aplicação, por exemplo, Matemática foi a disciplina que mais exigiu conhecimento dos estudantes, quando comparada aos anos anteriores. Já na segunda, com base nos boletins de desempenho, nota-se que Biologia registrou a menor média: de 24 pontos totais, a média geral foi 8.   

  1. Gestão de tempo é essencial  

A prova é trabalhosa e as questões exigem tempo para pensar. Com isso, a gestão do período é fundamental para obter um bom desempenho no vestibular da Unicamp. Uma recomendação é fazer uma média de minutos por questões para não deixar nada em branco.   

  1. A prova é criteriosa e exige interpretação  

A dificuldade da prova da Unicamp não está nas ‘pegadinhas’ dos enunciados ou na cobrança de conteúdos que não são ministrados com profundidade no Ensino Médio, mas na interpretação exigida do candidato e na avaliação que o vestibulando precisa fazer sobre como irá juntar seus conhecimentos para responder a questão. “Não basta saber os conceitos, também é preciso saber fazer a leitura correta da situação proposta”, esclarece Vitor Ricci.   

  1. O modelo de redação é diversificado     
     

A redação equivale a 20% da nota final. A maioria dos vestibulares cobra o formato clássico de dissertação, mas a Unicamp traz gêneros que variam a cada ano. A prova oferece duas opções ao candidato. No último ano, por exemplo, foi possível escolher entre a produção de um discurso político e de um texto para um diário. A diversificação faz com que o aluno precise se preparar ao longo do ano para se deparar com estruturas textuais diversificadas.     

  1. A segunda fase atribui pesos diferentes para cada matéria    

O peso de cada matéria varia de acordo com a área desejada. Uma recomendação aos estudantes é que leiam atentamente o edital para obter essas informações, pois, se no dia da prova estiverem com duas questões em branco, por exemplo, devem fazer a que possui um maior valor no processo seletivo do seu curso.   

  1. As questões da segunda fase possuem itens independentes  

Na prova da Unicamp, as questões são dissertativas, com itens A e B. São quatro pontos por questão, com dois pontos por item. Não há nota fracionada, ou seja, o vestibulando pode obter notas 0, 1 ou 2. Entretanto, os itens são independentes! Então, caso o estudante não saiba resolver o primeiro, deve pular para o segundo, sem perder tempo, mas não desistir da questão como um todo.  

  1. A Unicamp atua com sistema de cotas  

De 15 a 27,2% das vagas do vestibular são destinadas a candidatos autodeclarados pretos ou pardos. A universidade também oferece uma bonificação em que alunos de escolas públicas recebem uma pontuação extra na nota do vestibular. Em paralelo, para o processo seletivo de 2022, também estão previstas as ações afirmativas do edital do Enem. As vagas são reservadas para estudantes de escolas públicas e/ou autodeclarados pretos ou pardos.