Início Pindamonhangaba Pindamonhangaba declara guerra contra dengue e escorpião e pede apoio da população

Pindamonhangaba declara guerra contra dengue e escorpião e pede apoio da população

(Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa)

Em reunião realizada nesta quarta-feira (10), a Prefeitura de Pindamonhangaba reuniu diversas secretarias municipais para discutir ações integradas visando combater dois grandes inimigos da saúde pública: a dengue e o escorpião. A secretaria de Saúde, Valéria Santos, ressaltou que para vencer essa guerra o engajamento da população é fundamental.

Acúmulo de lixos, madeiras e entulhos depositados pela população prejudica toda a comunidade – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Segundo o coordenador do Programa de Saúde da Vigilância Epidemiológica, Ricardo Costa Manso, a situação está crítica face à última Análise de Densidade Larvária (ADL) medindo em diversas áreas do município a presença de larvas em possíveis criadouros. Recentemente, a última medição registrou uma média para o município de 4,5, bem acima do índice de 1.0, recomendado pelo Ministério da Saúde. “Estamos fazendo todo o esforço para reduzir essa marca. Temos uma região crítica que é a zona leste da cidade, onde em alguns bairros o índice chegou a 7,5, ou seja, de cada 100 imóveis analisados, 7,5 constaram larvas do mosquito em criadouro de dengue”, afirmou Ricardo.

Publicidade

Dentre os bairros apontados como estado crítico estão: Campinas, Triângulo, Cidade Nova,
Feital, Jd. Eloyna, Jd. Regina e Goiabal.

Além da Secretaria de Saúde, participaram do encontro representantes das pastas do Meio Ambiente, Esportes, Educação e Governo e Serviços Públicos. “Definimos que iremos utilizar de todos os meios para chegar as informações de conscientização à população, como ações com professores da rede municipal durante as aulas on line e com profissionais de educação física durante as aulas da SEMELP”, afirmou Valéria.

Nos próximos dias a Prefeitura irá lançar uma forte campanha utilizando todos os veículos de comunicação como rádio, tv, jornal, portais, redes sociais, carro de som, panfletos, vídeos educativos, cartazes, outdoor, entre outros.

“Prevenir é a melhor forma de evitar a dengue, zika e chikungunya. A maior parte dos focos do mosquito está nos domicílios, assim as medidas preventivas envolvem o nosso quintal e também os dos vizinhos”, afirmou a secretaria de Saúde, Valéria Santos.

A equipe de controladores de vetores da Vigilância Epidemiológica prossegue o trabalho de orientação e fiscalização nas residências, priorizando os bairros onde o foco é maior. Este ano, um complicador da proliferação da dengue é o prolongamento da estação chuvosa e intensidade do calor.

As atividades de controle do aedes aegypti são ordenadas e fiscalizadas pela Superintendência de Controle de Endemia – SUCEN e pelo Ministério da Saúde e conforme determinação do Plano Nacional de Combate à Dengue e da SUCEN. O tratamento químico via termonebulização (fumacê) e nebulização (UBV costal), só podem ser realizados em áreas prioritárias que apresentam transmissão de dengue. “Além disso para essa aplicação é necessário fazer um minucioso trabalho de bloqueio de controle de criadouros, em que temos que inutilizar e tratar o foco das larvas de mosquito na maioria das casas visitadas num raio de 200 metros ao redor do caso de dengue notificado e positivado. É isso que estamos fazendo atualmente na região da Cidade Nova”, explicou Ricardo.

Escorpiões
A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba alerta a população sobre os cuidados para evitar acidentes com escorpiões, especialmente no período de calor (período de reprodução), quando é mais frequente a presença deles próximo a casas, em quintais e garagens.

Escorpião encontrado recentemente na região central da cidade – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

A Prefeitura está reforçando as ações de combate através da catação manual de cada um dos exemplares encontrados, pois isso é importante a população sempre comunicar o poder público. Segundo coordenador do Programa de Saúde da Vigilância Epidemiológica a dedetização não é indicada e nem eficiente para o combate a escorpiões, além disso, o uso de substâncias químicas disponíveis aguça e atrai os exemplares que estão escondidos.

Caso algum morador encontre escorpião, nunca deve manipulá-lo com as mãos desprotegidas. O ideal é, em segurança, capturar o escorpião, colocá-lo em um frasco com tampa e entrar em contato com a Prefeitura. O animal será enviado para o Instituto Butantan para identificação, que é importante para fazer o mapeamento da prevalência daquela espécie em determinada região.

Entre os cuidados para evitar a proliferação de escorpiões estão a manutenção da limpeza dos ambientes internos e externos, quintais, garagens e outros espaços; não acumular entulhos, lixo, madeiras e outros materiais; manter fechados os ralos internos e externos; vedar frestas nos muros, paredes e pisos e examinar roupas e calçados antes de usá-los.

Em breve, a Prefeitura realizará o lançamento da campanha e uma live educativa para transmissão das informações.