Início Pindamonhangaba Curso de Culinária do Fundo Social de Pindamonhangaba registra histórias de sucesso

Curso de Culinária do Fundo Social de Pindamonhangaba registra histórias de sucesso

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Despertar conhecimentos e abrir novos horizontes. Com essa missão, o Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Pindamonhangaba vem, por meio do Projeto Reinvente, proporcionado aprendizagem simples e abrindo novas expectativas de renda e formação profissional.

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Sob o comando da primeira-dama Claudia Maria Vieira Domingues, os cursos acontecem mensalmente e já formaram milhares de pessoas. Gabriela Cardoso é instrutora do curso de Culinária e há quatro anos participa das oficinas do Fundo Social. “Estou desde 2017, antes mesmo do projeto Reinvente. Comecei com o curso de cozinheiro básico, que teve duração de três meses, e foi uma capacitação super intensiva para o mercado de trabalho. É muito prazeroso ver nossos alunos empregados”, afirmou a instrutora.

Publicidade

Ela lembra que na primeira turma formaram-se 25 cozinheiros. Em 2018, com o início do projeto Reinvente, a oficina de Culinária passou a ter duração de 100 horas/aula. “Cada turma forma uma média de 20 a 25 alunos e eu transmito os conhecimentos de forma bem didática e prática. O curso é 100% mão na massa, com receitas de fácil preparo, custo baixo e que podem ser facilmente comercializadas”, explicou Gabriela.

Segundo ela, o trabalho proporcionou diversos ‘cases’ de sucesso, como por exemplo, duas alunas (mãe e filha) que abriram um empreendimento de comidas veganas após fazerem o curso. “Outro caso é da Helena, do Saúde com Sabor, que abriu uma marmitaria após o curso e hoje é o sustento da família. E o caso do Rogério que, ao finalizar o curso, já conseguiu emprego e hoje é um profissional especializado da gastronomia”, comentou a instrutora.

Gabriela demonstra grande satisfação no que faz. “É muito bom levar saúde e qualidade de vida para os alunos, ver eles empreendendo, abrindo a mente sobre novas modalidades da alimentação. Mesmo com as aulas online, não perdemos o pique e posso transmitir aquilo que vivo e acredito”, garantiu.

Marmitaria garante metade da renda familiar de Helena
Helena Rodrigues Rosa é moradora do Residencial Andrade e conheceu o curso através de uma amiga de sua mãe. Graduada em processos gerenciais, ela descobriu que era diabética tipo dois e necessitava alterar seus hábitos alimentares. Foi quando se inscreveu no curso e conheceu a instrutora Gabriela.

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

“O curso foi literalmente um divisor de águas na minha vida. Aprendi e me apaixonei por este universo mais saudável. Os aprendizados e orientações são maravilhosos e assim concluí o curso em 31 de outubro de 2019”, afirmou Helena.
Após encerrar o curso, Helena começou a fazer marmitas para sua mãe e, aos poucos, os clientes foram chegando. Ela fez um breve estudo de mercado e começou a comercializar as marmitas. “No começo eram poucas e eu conseguia sozinha. De um tempo pra cá, conto com a ajuda da minha mãe e da minha avó, pois aumentaram significativamente o número de marmitas. Hoje cerca de 50% da renda da minha casa vêm das vendas das marmitas”, afirmou Helena.

Segundo ela, sua produção é realizada de forma simples, porém com tempero caseiro e saudável. “Um dos grandes ensinamentos que recebi é que alimentação saudável tem que ser prazerosa e deve ter bastante sabor e cor. Divirto-me muito na cozinha, me encontrei fazendo marmitas. Eu não sou nutricionista, não faço plano alimentar, eu apenas fiz um curso e me apaixonei pela alimentação saudável. O que eu vendo é o que eu sirvo em minha casa”, finalizou Helena.

Desempregado agora é profissional qualificado da gastronomia
“Eu estava desempregado e procurava uma profissão que me realizasse. De repente, vi nas redes sociais o anúncio da Prefeitura sobre o curso de Cozinheiro Básico e desde então tudo mudo em minha vida”. Essa é a história de Rogério Koide.

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Após efetuar sua inscrição junto ao Fundo Social de Solidariedade foi informado de que iria participar de um sorteio e logo pensou que nunca seria chamado. O curso teve início e Rogério achou que não seria contemplado. Entretanto, devido a desistências, três dias depois seu telefone tocou e sua participação foi confirmada.

“Nunca havia trabalhado na área de gastronomia. Apesar do curso ser básico, o seu conteúdo era completo e aprendi a base da cozinha brasileira, francesa e italiana, além de conceitos sobre confeitaria e panificação”, afirmou Rogério.
Feliz com sua escolha e com o novo aprendizado, ao final do curso Rogério foi surpreendido com dois convites para entrevistas em estabelecimentos que abriam vagas para cozinheiros. “Com apoio da minha família e da instrutora Gabriela, escolhi o Colonial Plaza Hotel e iniciei uma nova fase da minha vida. Hoje estou há três anos nessa empresa, sempre me aperfeiçoando cada vez mais”, afirmou Rogério.

Com o novo caminho, Rogério descobriu que nasceu de fato para a gastronomia e após o incentivo inicial da Prefeitura de Pindamonhangaba hoje ele está formado em Gastronomia pela Universidade Paulista – UNIP e atualmente está cursando uma pós-graduação de Gastronomia Internacional pela Faculdade Metropolitana do Estado de São Paulo.