Início Caraguatatuba Com 16% da população com mais de 60 anos, Caraguatatuba não recebe...

Com 16% da população com mais de 60 anos, Caraguatatuba não recebe doses de vacina suficientes

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

Caraguatatuba é a cidade da região o com maior número de idosos proporcionalmente à população, sendo um total de 20.856 pessoas com mais de 60 anos, o que significa 16% dos 123 mil habitantes. De acordo com o censo mais atual do IBGE, cidades como São José dos Campos possuem 9% e São Sebastião cerca de 8% de idosos.

Desde o início da pandemia do coronavírus a Organização Mundial de Saúde tem divulgado que o principal grupo de risco são as pessoas de mais de 60 anos e, assim como em outros municípios, Caraguatatuba tem recebido doses insuficientes para os idosos.

Publicidade

Este número de mais de 20 mil idosos é o número oficial, de acordo com o cadastro do portal e-SUS. Mas o município acredita que seja ainda maior, em razão daqueles que não usam o sistema e nunca se cadastraram, mas que agora têm direito à vacina da COVID-19.

Para a faixa etária de maiores de 90 anos a cidade recebeu 400 doses e já foram vacinados até agora 255. A Secretaria de Saúde do município estima aplicar o imunizante para mais de 400 idosos nesta faixa etária, pois muitos deles possuem segunda residência em Caraguatatuba e estão em isolamento social na cidade.

Já na faixa etária de 85 a 89 anos, a cidade recebeu apenas 545 doses do Governo do Estado para vacinar 821 idosos nesta idade. A Secretaria de Saúde terá que adotar um esquema diferenciado para a vacinação que se inicia na segunda-feira (15/02): vacinando por idade, primeiramente só os idosos de 89 anos, depois só os de 88 anos e assim sucessivamente até chegar aos de 85 anos.

A principal preocupação por essa defasagem nas doses de vacina é que os idosos com mais de 60 anos são as principais vítimas da COVID-19 na cidade, com mais de 85% dos óbitos. Entre as comorbidades mais comuns estão hipertensão, diabetes, doença renal, problemas cardíacos, entre outros.

Devido a estes números preocupantes, a Secretaria de Saúde de Caraguatatuba já oficiou o Governo do Estado para envio de mais doses para acelerar a aplicação da vacina neste grupo de risco.

A cidade dos idosos

O motivo para idosos escolherem a cidade de Caraguatatuba como lugar para se viver tem explicação, tanto que a cidade foi destaque no Índice de Desenvolvimento Urbano para a Longevidade (IDL), que tem como objetivo avaliar o preparo de 876 municípios brasileiros para a longevidade da população.

O estudo foi feito pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e o município está em 19° lugar no ranking de grandes cidades, que é composto pelos 300 municípios brasileiros com maior número de habitantes analisados no estudo.

A composição geral do estudo é baseada em sete variáveis: indicadores gerais, cuidados de saúde, bem-estar, finanças, habitação, educação e trabalho, além de cultura e engajamento.

Além da iniciativa privada, Caraguatatuba possui um sistema de saúde pública bem estrutura e é exemplo de espaços públicos criados para atender essa população como o CIAPI (Centro Integrado de Atenção à Pessoa com Deficiência e ao Idoso), local que atendia antes da pandemia, mensalmente, cerca de 2 mil idosos em mais de 50 atividades culturais e esportivas. Conta ainda com as academias ao ar livre, realiza atendimento em casa com medicamentos e equipes do Programa Melhor em Casa da Secretaria da Saúde, além de abrigar o Programa Praia Acessível que proporciona lazer aos idosos nas praias.