Início Pindamonhangaba Bebê desaparecida em Pinda e é encontrada decapitada em Taubaté

Bebê desaparecida em Pinda e é encontrada decapitada em Taubaté

(Foto: arquivo pessoal /divulgação)

Na tarde desta quarta-feira (14), a Polícia Civil encontrou, na estrada que liga Pinda-Taubaté, próximo ao bairro Quiririm, o corpo da bebê Maria Clara, de 1 ano, que estava desaparecida desde terça-feira (13), em Pindamonhangaba. Padrasto confessou o crime.

De acordo com a Polícia Civil, o padrasto da bebê havia procurado da delegacia para registrar um boletim de ocorrência informando que deixou a criança com um desconhecido em um ponto de ônibus para usar um banheiro público, na região central de Pinda, e que, quando retornou a criança havia desaparecida.

Publicidade

O desaparecimento aconteceu por volta das 11h da manhã e o padrasto só procurou a polícia por volta das 21h40. A polícia suspeitou da versão contada pelo padrasto contestando o depoimento com as imagens de câmeras de segurança. Testemunhas também haviam informado que viram o rapaz com a bebê em uma bicicleta seguindo no sentido Taubaté por uma rodovia.

O padrasto acabou confessando ter matado a menina e levou os policiais até o local em que o corpo foi deixado. A criança foi encontrada decapitada, jogada em um matagal no final de uma trilha. Também foi encontrada a cadeirinha e a roupa da criança.

A delegada Renata Costilhas, responsável pelo caso, disse que o padrasto não apresentou nenhuma razão para cometer o crime, dizendo apenas ter matado a criança e informando onde havia deixado o corpo.

Ela disse ainda que a cabeça e o corpo estavam juntos e que a bebê não estava enterrada.

O padrasto foi encaminhado até o 1º Distrito Policial e teve a prisão decretada por 30 dias. Por volta das 19h20 ele foi levado para cadeia de Taubaté onde ficará isolado de outros presos até a conclusão das investigações. Na saída da delegacia, populares e parentes da vítima demonstrar indignação com o fato.

1º Distrito Policial de Pindamonhangaba (Foto: Saulo Fernandes/Vale News)

O corpo da bebê Maria Clara foi recolhido e encaminhado ao IML de Taubaté. O conselho tutelar também foi acionado e acompanha o caso.

No fim da tarde, a população, revoltada após ficar sabendo da morte da bebê, ateou fogo na casa em que o padrasto estava morando com a mãe da bebê e outras duas crianças. Ela ainda está grávida de oito meses. O padrasto é da cidade de Piquete e estava morando com a mulher há aproximadamente um ano. Não havia ninguém no interior da residência e ninguém ficou ferido.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e está no local combatendo as chamas.

Imagem: reprodução/divulgação