Início São Paulo São Paulo teve o setembro mais quente desde 1943

São Paulo teve o setembro mais quente desde 1943

Foto: WJHG

Setembro de 2020 foi um mês muito quente e bastante seco na cidade de São Paulo. O mês entra para a história climática da capital paulista como sendo o setembro mais quente já observado desde que começaram as medições na estação meteorológica do Mirante de Santana, na zona norte da cidade, em 1943. A média das temperaturas máximas foi de 29,3°C e a média das temperaturas mínimas foi de 17,4°C

Temperaturas de setembro de 2020

Publicidade

Com a onda de calor que se instalou sobre o Brasil no fim de setembro, no último dia do mês, a temperatura chegou aos 37,1°C no Mirante de Santana, na zona norte da cidade de São Paulo. Esta foi a segunda maior temperatura já registrada neste local desde 1943 e que se repetiu no primeiro dia de outubro.

O calor do dia 30/9/2020 foi muito próximo do recorde histórico de calor de São Paulo que é de 37,8°C, em 17/10/2014.

Pelos cálculos do INMET, a média das temperaturas máximas e a média das mínimas foram as mais altas já observadas para um mês de setembro de toda a série histórica iniciada em 1943.

Assim, setembro de 2020 entra para a história climática da cidade São Paulo como o setembro mais quente já observado.

Resumo das temperaturas de setembro de 2020

Maior temperatura: 37,1°C em 30/9/2020 (segunda maior temperatura registrada na capital paulista desde 1943)

6 maiores temperaturas já registradas pelo INMET na cidade de São Paulo, na região do Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista.

1 37,8 17/10/2014

2 37,1 30/09/2020 e 1/10/2020

3 37,0 20/01/1999

4 36,7 19/01/1999

5 36,7 21/01/1999

6 36,6 31/10/2012

Menor temperatura: 13,5°C em 22/9/2020

Média das temperaturas mínimas: 17,4°C (3,0°C acima da média de normal climatológica que é de 14,4°C) – novo recorde de maior média mensal de temperatura mínima para setembro; desde 1943;

Maiores médias mensais de temperatura mínima para setembro

1 – 2020: 17,4°C

2 – 2015: 16,6°C

3 – 2004 : 16,3°C

4 – 2017: 16,3°C

5 – 1961, 2009, 2019: 16,1°C

Média das temperaturas máximas: 29,3 °C (4,9 °C acima do valor climatológico que é de 24,4°C). Esta é a maior média das máximas desde o início das medições em 1943,

Maiores médias mensais de temperatura máxima para setembro

1 – 2020: 29,3°C

2 – 2004: 28,8°C

3 – 2017: 28,7°C

4 – 1963: 28,6°C

5 – 1961: 28,3°C

Chuva de setembro de 2020

No informe oficial do balanço de setembro de 2020, o INMET – Instituto Nacional de Meteorologia – informou que foram acumulados apenas 14,6 mm no Mirante de Santana nos 30 dias de setembro. Este volume corresponde a apenas 17% da média de chuva normal para um setembro que é de 84,9 mm, considerando a climatologia para o período de 1981 a 2010.

No histórico do Mirante de Santana, São Paulo teve o décimo segundo setembro com menos chuva desde 1943. O setembro mais seco até agora foi o de 1994, quando choveu apenas 1,2 mm

Resumo da chuva de setembro de 2020 no Mirante de Santana

Total acumulado em 30 dias: 14,6 mm (17% da média que é de 84,9 mm)

Maior chuva em 14h: 12,2 mm (entre 9h do dia 21 e 9h de 22/9/2020)

Número de dias com chuva mensurável: 5 dias (normal: 9 dias), considerando a possibilidade de condensação de orvalho no pluviômetro (acumulados de 0,2 mm).

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.