Início São José dos Campos São José dos Campos se consolida no mapa da preservação de primatas

São José dos Campos se consolida no mapa da preservação de primatas

Foto: Lucas Cabral/PMSJC

São José dos Campos entrou definitivamente no mapa brasileiro das pesquisas científicas sobre muriquis e outros primatas ao sediar, nesta segunda-feira (20), seminário internacional sobre o tema que contou com a participação de cerca de 200 pessoas.

O fórum de discussões e estudos, realizado no distrito de São Francisco Xavier, atraiu para a cidade alguns dos mais renomados cientistas e pesquisadores do Brasil e do exterior.

Publicidade

Durante todo o dia, eles ministraram palestras e debateram ações para preservação dos primatas e desenvolvimento do turismo sustentável na região.

Nesta terça (21), o grupo irá fazer observações in loco durante expedição nas matas de São Francisco.

O seminário contou com a presença de alguns dos maiores especialistas em climatologia, preservação da natureza e conservação de primatas.

Entre eles, os doutores americanos Russell Mittermeier, diretor do Global Wildlife Conservation (Conservação Global da Vida Selvagem) e presidente do Grupo Especialista em Primatas da União Internacional para Conservação da Natureza; e Karen Strier, presidente da Sociedade Internacional de Primatologia e uma das maiores autoridades mundiais em muriquis.

Também participaram do evento lideranças da Sociedade Latino-Americana de Primatologia, do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), do Instituto Nacional da Mata Atlântica da Fundação Florestal, da USP (Universidade de São Paulo) e da Universidade Federal de Viçosa, entre outras instituições.

Referência nacional

Para os especialistas, a partir do seminário desta segunda São José se consolida como uma das referências para estudo e preservação dos primatas e do bioma.

“Há 48 anos que pesquiso e trabalho com primatas da Mata Atlântica e nesta segunda-feira fiquei emocionado com o que vi aqui em São José. Foi algo especial. Poucas vezes presenciei uma comunidade tão interessada na preservação dos muriquis e outros primatas”, disse o doutor Mittermeier.

Por seu seu trabalho em defesa da natureza foi reconhecido pela revista norte-americana “Time” como herói ambiental para o planeta Terra.

“É fantástico o que está sendo feito aqui em São José. É algo único, já que está sendo feito trabalho mesmo antes da chegada dos pesquisadores. Aqui pode ser sucesso na conservação de primatas a nível mundial”, completou o primatólogo e antropólogo físico.

Para a doutora Karen Strier, São José poderá se transformar, em pouco tempo, em uma das capitais nacionais dos muriquis, a exemplo do que já aconteceu com a cidade mineira de Caratinga.

“São José tem potencial para se transformar em referência e capital dos muriquis e outros primatas. Este seminário será fundamental para a ciência. Fiquei muito otimista de ver o envolvimento de todos aqui presentes na preocupação com a preservação dos primatas”, afirmou a presidente da Sociedade Internacional de Primatologia.

“Está se abrindo um grande campo para pesquisas, unindo ciência com preservação. E com uma comunidade que dá apoio, o que fará toda a diferença”, completou.

Preservação

Moradores de São Francisco consultados também destacaram a importância da conservação dos primatas.

“Os muriquis e outros primatas são um patrimônio natural de São Francisco e de São José. Fico muito feliz em ver tantos cientistas importantes aqui. Todos temos que ajudar na preservação destes primatas”, disse o empresário Sandro Augusto Rosa, 34 anos.

“Os muriquis poderão alavancar o turismo sustentável aqui em São Francisco. Considero que o trabalho de preservação realizado aqui terá reflexo no mundo todo”, afirmou o autônomo Gabriel Cortez, 18 anos.

Novas ações e estudos
O seminário desta segunda abriu caminhos para estudos e ações de conservação dos primatas.

Durante o evento, foi assinado protocolo de intenções entre a Prefeitura e as instituições presentes para a preservação desta espécie.

O Fundo Municipal de Meio Ambiente poderá liberar verbas para alavancar os estudos e ações estratégicas.

Serra da Mantiqueira

São Francisco Xavier é um dos poucos locais da Serra da Mantiqueira que conta com cinco espécies de primatas: muriquis-do-sul, bugios, macacos-prego, sauás e saguis-da-serra-escuros.

O muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides), espécie-símbolo do distrito, é, junto com o muriqui-do-norte (Brachyteles hypoxanthus), o maior primata das Américas. A espécie entrou em 2019 na categoria de “criticamente ameaçada de extinção”, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

O muriqui-do-sul e o muriqui-do-norte são duas espécies muito próximas, sendo inicialmente consideradas como uma só.

Estudo realizado em 1999 estimou em cerca de 90 os indivíduos de muriquis-do-sul presentes em São Francisco Xavier. Outras estimativas, contudo, falam em 250 indivíduos ou mais. A população total de muriquis-do-sul vivendo na natureza é estimada em no máximo 2.000 indivíduos, em 15 localidades no país.

A população de muriquis-do-sul em São Francisco Xavier pode, portanto, representar até 10% de sua população total.