Início Destaque Com programação artística livre e gratuita, Vale do Paraíba recebe o circuito...

Com programação artística livre e gratuita, Vale do Paraíba recebe o circuito Sesc de Artes

Cia Cênica Jorge Etechber (Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa)

Uma caravana com 490 artistas de diversos lugares do Brasil e do mundo, divididos em 14 roteiros, se prepara para viajar pelo estado de São Paulo na 11ª edição do CIRCUITO SESC DE ARTES. Com atividades de artes visuais, circo, cinema, dança, música, teatro, literatura e tecnologias e artes, o Circuito acontece de 29 de março a 14 de abril, de sexta-feira a domingo, das 16h às 21h30 em 121 cidades.

De atmosferas poéticas a explosões de cenas, de performances solo a grandes grupos, de trabalhos manuais a realidade virtual, o CIRCUITO SESC DE ARTES envolve 100 programações culturais em mais de mil apresentações artísticas em espaços públicos, sempre com atrações gratuitas para todas as pessoas. Realizado desde 2008, o Circuito tem como objetivo estimular a circulação e a difusão de trabalhos artísticos, inspirar diversos usos para os espaços públicos e ampliar as possibilidades de convivência.

Publicidade

“A importância do projeto está, sobretudo, ligada ao caráter democrático das ações, pensadas para aproximar o público das mais diversas formas de expressão da arte e de seus conteúdos. Ao levar as atividades para as praças, o CIRCUITO SESC DE ARTES cria pontes significativas entre as pessoas, os artistas e o próprio espaço”, explica Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo.

121 cidades em três semanas

O Circuito é dividido em 14 roteiros que, em três semanas, percorrerão 121 cidades do interior, litoral, grande São Paulo e capital paulista que receberá atividades em 6 bairros da Zona Leste. Ao longo do dia, cada cidade receberá uma programação composta de espetáculos, intervenções, vivências e oficinas. Em todas essas ações, haverá a mediação de artistas e educadores.

Para a realização do CIRCUITO SESC DE ARTES o Sesc São Paulo conta com a parceria das prefeituras municipais e sindicatos do comércio locais. A coordenação dos trabalhos envolve equipes de diversas unidades do Sesc em todo o estado.

Destaques na região

Com uma programação que aborda várias linguagens artísticas, o CIRCUITO SESC DE ARTES traz para as cidades artistas, grupos, coletivos e companhias de longas trajetórias. As cidades de Lorena, Areias e Cruzeiro, de 29 a 31 de março, poderão assistir o espetáculo teatral Terra Abaixo, Rio Acima, que mostra a relação entre o progresso de uma hidrelétrica chegando a uma comunidade e as memórias das pessoas que acabam ficando submersas em meio ao processo de construção do empreendimento. Outra atividade que merece destaque é o Set na Praça, realizado pelo Instituto Querô. O público poderá conferir de perto como funciona um set de cinema e TV, experimentando funções da produção e gravação de uma cena.

De 5 a 7 de abril, o Circuito passa pelas cidades de Monteiro Lobato, Santa Branca e Guararema. Entre as atrações, destaque para a cantora e compositora baiana Luedji Luna, uma das expoentes da MPB, que apresenta o show Mundo, mais voltado à música eletrônica e ao rap e para o Circo Fubanguinho, da Trupe da Lona Preta, espetáculo inspirado em farsas, charangas e bufonarias, em que dois palhaços são demitidos e expulsos do picadeiro, mas tentam retornar ao circo a qualquer custo.

No mesmo fim de semana o Circuito também leva atrações para as cidades de Pindamonhangaba, Lagoinha e Guaratinguetá, como o espetáculo Onipotência do Sonho, do grupo Centro Teatral e Etc. e Tal (SP). Em praças e ruas, a montagem faz uso da linguagem do circo e se inspira no surrealismo para dar vida a criaturas que parecem ter saído de um quadro do Salvador Dali, com atores fazendo movimentações estranhas e, ao mesmo tempo, fascinantes. Quem gosta mais de música, pode assistir ao show do Coletivo de Violino Popular. Os músicos e instrumentistas Carol Panesi, Ricardo Herz e Nicolas Krassik mostra que o violino pode ser bem popular, se distanciando da imagem erudita ao qual é associado normalmente.

Paraibuna, Ubatuba e Caraguatatuba terão as atrações culturais de 12 a 14 de abril. Na programação destaque para o show da cantora e compositora carioca Mahmundi, que vem construindo uma sonoridade própria com elementos de eletrônica, indie pop e MPB. O seu novo disco Para Dias Ruins, vai do charme carioca à bossa nova. Já a Cia da Tribo apresenta o espetáculo Água Doce, que mescla atores e bonecos, para recontar o mito da Iara e os seres das comunidades ribeirinhas, como a Cobra Grande e as Três Marias.

Programação completa na região

Cidades

Lorena – Dia 29 de março, sexta-feira.
Praça Arnolfo de Azevedo – Centro.

Areias – Dia 30 de março, sábado.
Praça 9 de Julho – Centro.

Cruzeiro – Dia 31 de março, domingo.
Praça 9 de Julho – Centro.

Atrações:

Música

Maglore (BA)

Com 10 anos de estrada, a banda baiana Maglore apresenta um show em homenagem a Tim Maia. Além de sucessos de seus quatro álbuns, o grupo interpreta canções conhecidas e algumas raridades do pai do soul e do funk brasileiro, porém, adaptadas para a sua sonoridade pop rock com referências tropicalistas e psicodélicas.

DJ Paulão (SP)

Radialista, cientista político e curador de projetos culturais, DJ Paulão tem mais de 25 anos de carreira na área cultural. Pesquisador do Tropicalismo, colaborou com a exposição “Tropicália” no Museu de Arte Contemporânea de Chicago e Museu de Arte do Bronx. Atualmente, pesquisa a história do samba rock e dos bailes para um livro. Seu som explora as vertentes e ritmos da música brasileira dos últimos 60 anos.

Teatro

Terra Abaixo, Rio Acima – Cia. Cênica (SP)

O progresso de uma hidrelétrica chega a uma pequena comunidade. Enquanto casas, terras, pessoas e memórias são represadas e submersas, os moradores buscam emergir de algo que se perdeu. O espetáculo de rua usa o realismo mágico e inspira-se em histórias do noroeste paulista, em especial, a construção da usina de Ilha Solteira, a submersão da cidade de Rubinéia, os personagens do imaginário e das memórias da região.

Literatura

Projeto Catado – Vânia Medeiros (BA)

Os participantes da oficina vão criar seu livro de artista, com técnica de encadernação simples de um nó, e utilizando fragmentos de textos literários, fotos, fitas adesivas, papéis coloridos, carimbos e material de desenho. Serão usados textos de domínio público de Machado de Assis, García Lorca, Gertrude Stein, Fernando Pessoa, Mina Loy e Florbela Espanca, entre outros escritores.

Circo

100% Loucos – Mano a Mano Circus (Argentina)

O espetáculo acompanha quatro artistas que se reencontram depois de anos e, agora, terão de enfrentar dificuldades e situações surpreendentes para eles e para o público. A apresentação da companhia argentina, fundada em 2010, reúne técnicas tradicionais do circo, como acrobacias aéreas, pólo chinês, malabarismo e acrobacias de piso, além do humor e da música ao vivo.

Tecnologias e Artes

Construção de Autômatos – Du Salzani (SP)

O público vai conhecer alguns princípios mecânicos para ajudar a montar peças em madeira de reuso que funcionam ao girar uma manivela. Com orientação dos arte-educadores que também são palhaços, a oficina discute o reuso de materiais encontrados no lixo e as formas de transformá-los em arte e poesia.

Cinema

Set na Praça – Instituto Querô (SP)

O público vai ver como funcionam os bastidores de uma filmagem e experimentar algumas funções na produção de uma cena. O set contará com cadeira de diretor, iluminação, câmera, monitor, travelling, microfone, camarim e objetos de arte. Além de estimular os participantes a conhecer mais do universo da TV e do cinema, que tanto encantamento provoca, a proposta é valorizar atitudes de trabalho coletivo.

Cidades

Pindamonhangaba – Dia 5 de abril, sexta-feira.
Praça do Quartel.

Lagoinha – Dia 6 de abril, sábado.
Praça Augusto Ribeiro – Centro.

Guaratinguetá – Dia 7 de abril, domingo.
Avenida Presidente Vargas – Vila Paraíba.

Atrações:

Dança

DidêManda – Cia. de Dança AfroOyá (SP)

Em yorubá, Didê significa levantar, enquanto Manda vem do verbo “mandar” em português. A companhia literalmente comanda seus bailarinos a se levantarem para um espetáculo performático dançante e percussivo, que comunga cultura, tradição, ritmo e alegria. A companhia pesquisa as danças de matrizes africanas e sua relação no mundo contemporâneo.

Circo

Onipotência do Sonho – Centro Teatral e Etc. e Tal (SP)

O espetáculo leva à praça intervenções cênicas inspiradas no surrealismo. Figuras sem rosto, com figurinos que remetem à década de 1920, são baseadas nos personagens sem face de Magritte e carregam seres surreais e gigantes, como as formigas coloridas que parecem ter saltado das telas de Salvador Dali. Os artistas utilizam uma movimentação corporal meticulosa que causa estranhamento e fascínio no público.

Música

Coletivo de Violino Popular (RJ/SP e França)

Os músicos e instrumentistas Carol Panesi, Ricardo Herz e Nicolas Krassik apresentam um show em que adaptam o violino, instrumento normalmente associado à música erudita, para a música popular e os ritmos brasileiros. Acompanhados por piano, bateria e percussão, eles mostram arranjos criativos, virtuosismo e improviso ao compartilhar seus universos musicais com o público.

Teatro

Quem Vem de Longe – As Graças (SP)

Três mulheres acompanhadas de um músico chegam à praça carregando um monte de sapatos, que vão ser usados para criar um mapa povoado por seres que foram deslocados de sua terra natal e também da sociedade. O espetáculo trabalha a situação dos migrantes, imigrantes, errantes e andarilhos, assim como os caminhos e as instabilidades desses seres em movimento.

Literatura

Mediação de Leitura – Ademir Apparício Júnior (SP)

O ator, pesquisador, palhaço, mímico, contador de histórias e arte-educador vai receber o público para sessões de mediação de leitura, explorando diversas técnicas para prender a atenção das crianças e adultos, além de incentivar o contato com os livros e o hábito da leitura de forma lúdica e divertida.

Artes Visuais

Atelier Móvel – Bordado Livre – Atelier Móvel da Primavera de 83 (SP)

Uma bicicleta decorada e uma manta de crochê armazenam os materiais e ferramentas que o público vai precisar para seu primeiro contato com o bordado e suas técnicas básicas. A proposta é ensinar pontos básicos do bordado livre, para produzir uma peça na praça, mas também que os interessados possam continuar a fazer em casa e se aperfeiçoar.

Artes Visuais

Grafiqueta #5 – Carimbos Caixas para Livros Dobras – Ateliê Libélula (SP)

Nesta instalação, o público terá contato com carimbos gigantes, que utilizam plástico-bolha, piso vinílico, tapetes de borracha e outros materiais. Após carimbar com o peso do corpo, os participantes da atividade vão ajudar a ressignificar as grandes folhas de papel com uma técnica de dobra simples. Cada folha-coleção vai se transformar em um livro-dobra.

Cidades

Monteiro Lobato – Dia 5 de abril, sexta-feira.

Santa Branca – Dia 6 de abril, sábado.
Praça Ajudante Braga – Centro.

Guararema – Dia 7 de abril, domingo.
Parque de Lazer Profª Deoclésia de Almeida Mello (Praça do Centro Artesanal) – Centro.

Atrações:

Música

Luedji Luna (BA)

A cantora e compositora baiana traz ao Circuito Sesc de Artes 2019 o show Mundo, no qual apresenta uma outra face de seu trabalho, mais voltada à música eletrônica e ao rap. São remixes e reinterpretações das músicas do álbum Um Corpo no Mundo, que colocou Luedji em evidência no cenário musical. O show conta com participação do DJ Vitonez, MC Zudzilla e as MCs Stéfanie e Dory.

DJ Vitonez (SP)

Fascinado pela black music desde a infância, o DJ explora ritmos e melodias que passam pelo rap, soul, funk, groove, acid-jazz e R&B. Além de DJ e produtor, ele também é colecionador de discos e teve uma loja no centro de São Paulo, que recebia discotecagens e apresentações de importantes nomes da cena rap paulistana.

Circo

O Circo Fubanguinho – Trupe da Lona Preta (SP)

Espetáculo inspirado em farsas, charangas e bufonarias, em que dois palhaços são demitidos e expulsos do picadeiro, mas tentam retornar ao circo a qualquer custo. A companhia, nascida em 2005, pesquisa linguagens e técnicas de palhaçaria e do teatro com intuito de atualizar elementos tradicionais e extrair o essencial do riso.

Diny Ilusionista (SP)

Uma das únicas ilusionistas mulheres no Brasil, Diny realiza efeitos de pequeno e grande porte, utilizando multimídia e tecnologia. Além de explorar as diferentes modalidades de mágica, ela é conhecida por seu número inexplicável de “quick change”, como são conhecidas as trocas rápidas de figurino bem em frente ao público.

Teatro

Henriques – Cia. Vagalum Tum Tum (SP)

O príncipe Henrique é um rebelde que vive uma vida de arruaça com os amigos Falstaff e Pistola. Nem seu velho pai, o rei Henrique IV, nem o povo o consideram a altura de ser o futuro governante – mas as coisas vão ter de mudar quando ele se tornar o rei Henrique V. Fundada em 2001, a companhia pesquisa técnicas de teatro e palhaço para contar, principalmente, histórias de William Shakespeare para crianças e jovens.

Tecnologias e Artes

Oficina de Máscaras Low Poly – Tico Volpato (SP)

Os participantes da oficina vão aprender a confeccionar uma máscara de papel em estilo poligonal, em três dimensões, com a técnica Low Poly. O público terá alguns animais diferentes para escolher no momento de criar sua máscara. A atividade, que não exige conhecimentos especiais, pode ter participação de pessoas de todas as idades, que vão entender os conceitos de alta e baixa tecnologia.

Artes Visuais

Desenhando a Cidade – Eduardo Bajzek (SP)

O grupo vai orientar o público sobre a prática dos “sketchers”, desenhistas urbanos que se reúnem para registrar, em traços, cores e tintas, as cenas e o cotidiano da cidade. É uma atividade cultural e social que tem ganhado destaque entre artistas amadores e profissionais. O público vai sair à praça com papel, lápis, canetas ou tintas para observar, desenhar e, depois, exibir suas criações.

Literatura

Universo HQ – TG3 Design e Conteúdo (SP) e Companhia EntreContos (SP)

A atividade é montada a partir de um carrinho de carga, do qual saem livros, bancos, espreguiçadeiras, tapetes e a sinalização do espaço. A praça ganha um ambiente confortável e todo destinado às histórias em quadrinhos. A mediação de leitura ficará a cargo da Companhia EntreContos.

Cidades

Paraibuna – Dia 12 de abril, sexta-feira.
Largo do Mercado.

Ubatuba – Dia 13 de abril, sábado.
Praça Nóbrega, 54 – Centro.

Caraguatatuba – Dia 14 de abril, domingo.
Praça do Caiçara – Avenida Anchieta, s/n – Centro.

Atrações:

Música

Mahmundi (RJ)

A cantora e compositora vem construindo uma sonoridade própria com elementos de eletrônica, indie pop, MPB e uma voz característica. Depois de lançar dois EPs e um disco independente, em que se destacaram as canções Vem (Selah), Calor do Amor e Eterno Verão, atualmente, ela divulga o álbum Para Dias Ruins, que vai do charme carioca à bossa nova.

Teatro

Água Doce – Cia. da Tribo (SP)

Com atores e bonecos, o espetáculo lembra o mito da Iara e os seres das comunidades ribeirinhas, como a Cobra Grande e as Três Marias. Na história, Abaré se aventura pelos rios para encontrar sua irmã, Iara, com o objetivo de recuperar águas poluídas e dar nova vida a peixes e outros animais. Vinda de uma grande cidade, a companhia explora a cultura regional em diálogo com a vida urbana em seus trabalhos.

Dança

Oficina de Dancehall – NG Coquinho (SP)

A equipe de dançarinos, DJs e cantores convida o público a compartilhar a pista e conhecer essa dança e música típica da Jamaica. O estilo nasceu no fim dos anos 1970 na Jamaica como um subgênero do reggae, mas evoluiu com os elementos eletrônicos e digitais, ficou mais acelerado e se aproximou do ragga e até mesmo do rap.

Circo

Trixmix Cabaret – Trixmix (SP)

O elenco do coletivo Trixmix se inspira nos antigos cabarés europeus para apresentar um show de variedades com clima da Belle Époque. Os números incluem técnicas de circo, teatro, mágica, dança, humor, poesia e música ao vivo, em um espetáculo que vai encantar o público de todas as idades.

Tecnologias e Artes

Brinquedos de montar e animar – Estúdio Dupla (SP)

Combinando arte manual e a tecnologia do corte a laser, a oficina convida os participantes a criar personagens em três dimensões com peças pré-cortadas pelos arte-educadores, que são ilustradores e animadores. Depois da montagem, as criações são fotografadas para produção de pequenas animações em stop motion, com aplicativos fáceis e gratuitos que podem ser instalados nos smartphones do próprio público.

Artes Visuais

Pomporom-pompom! – Ateliê Luthieria Poética (SP)

A partir de pompons de lã, os participantes da oficina poderão criar vários objetos, com orientação dos arte-educadores: capa para banquinho, pequenos tapetes, acessórios, chaveiros e até mesmo monstrinhos e personagens.

Literatura

Intervenção Objetos Poéticos – Selma Maria Kuasne (SP)

Você já viu um tamanco manco? Ou uma lata de cabeça pra baixo que vira um vira-lata? Aos participantes da atividade, a artista e escritora propõe um olhar poético e lúdico sobre o entorno e o cotidiano para reinventar nomes dos objetos e palavras da língua portuguesa em trocadilhos visuais e tridimensionais.

Cinema

Cinema em Realidade Virtual – Parceria com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (SP)

O público é convidado a experimentar a tecnologia imersiva que vem abrindo possibilidades de linguagens de cinema e novas formas de contar histórias. Será apresentado um panorama da produção recente com filmes curtos que exploram novos caminhos para a experiência em VR (“virtual reality” / realidade virtual).

Serviço:

CIRCUITO SESC DE ARTES 2019

De 29 de março a 14 de abril

Programação:

1º fim de semana: 29, 30 e 31 de março

2º fim de semana: 5, 6 e 7 de abril

3º fim de semana: 12, 13 e 14 de abril

Sextas, sábados e domingos, das 16h às 21h30.

Grátis. Livre.

A programação completa está na internet: sescsp.org.br/circuitosescdeartes

(a partir do dia 12/3)

Compartilhe: #circuitosescdeartes