Início São José dos Campos Revitalização do Torii marca centenário da imigração japonesa em São José dos...

Revitalização do Torii marca centenário da imigração japonesa em São José dos Campos

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

A Prefeitura de São José dos Campos, em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa na cidade, entregou neste sábado (6) a revitalização do Torii, na praça Riugi Kojima, no Jardim Aquarius, na região oeste.

Publicidade

O trabalho incluiu reforço na estrutura do monumento, recuperação da pintura, iluminação com lâmpadas de LED e jardinagem.

A Praça Kadoma no Jardim Paraíso e o jardim japonês no Parque Santos Dumont também foram revitalizados. 

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

A área de lazer é uma importante homenagem à colônia nipônica de São José.

O Torii, localizado na avenida Cassiano Ricardo, possui uma imponente estrutura de aço com 56 toneladas, 17 metros de altura e 21 metros de largura. Simbolicamente, o monumento representa um portal espiritual.

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Homenagem

A praça, inaugurada em 2008, recebeu o nome de Riugi Kojima, em homenagem ao engenheiro que faleceu no mesmo ano, quando exercia o segundo mandato consecutivo de vice-prefeito.

A família Kojima esteve presente no evento e foi homenageada.

Após 14 anos da inauguração da praça, dona Marisa Kojima falou emocionada.

“É muito gostoso e emocionante. Viemos para São José sem conhecer nada e conquistamos muitas coisas aqui. Uma homenagem inesquecível, o sentimento é de gratidão. Agradeço a todos de São José pela acolhida”.

“É muito importante esta união da colônia e de todos que ajudam a fazer a manutenção da praça e deixa-la cada vez mais bonita”, afirmou a filha de Kojima,  Luciana Kojima Vila Nova. 

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

Cultura e Tradição

Para celebrar o centenário da imigração japonesa na cidade, o evento contou ainda com apresentações artísticas e culturais.

Membros da comunidade nipo-brasileira e admiradores da cultura japonesa participaram das atrações.

Foto: Claudio Vieira/PMSJC

O Taiko significa tambor em japonês e engloba uma variedade de instrumentos de percussão.

Rodrigo Monteiro é brasileiro e praticante da modalidade. “Me encantei pela arte após assistir algumas apresentações”, disse.

Para ele, o Taiko é a harmonia entre corpo e música. “É a batida do tambor com a batida do coração, o que a cultura japonesa fala é importante para a sociedade.”

Dona Aiko Suzuki também representou a cultura japonesa nas apresentações de dança. Ela é moradora de São José há mais de 33 anos e hoje, além de dançar, procura compartilhar com outras pessoas os ensinamentos nipônicos que recbeu.

“É uma coisa nossa, né? É importante falar sobre respeito, honestidade.”

Foto: Claudio Vieira/PMSJC