Início Pindamonhangaba Prefeitura de Pindamonhangaba define ações para utilizar galpão, que se chamará Armazém...

Prefeitura de Pindamonhangaba define ações para utilizar galpão, que se chamará Armazém da Lagoa

Foto: PMP/divulgação

A Prefeitura de Pindamonhangaba realizou uma reunião técnica no galpão que fica na praça Sete de Setembro, na sexta-feira (29). O encontro realizado entre a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Claudia Domingues, o secretário adjunto de Cultura e Turismo, Ricardo Flores, e a diretora de Cultura, Rebeca Guaragna, definiu detalhes de como será o Festival de Blues, marcado para ocorrer na praça Sete de Setembro entre os dias 11 e 14 de agosto.

Publicidade

Eles também definiram a utilização do galpão, que passará a se chamar ‘Armazém da Lagoa’. O espaço foi reformado e revitalizado e vai receber a Feira do Arte Encanto do Fundo Social de Solidariedade durante o Festival de Blues. Além disso, o Armazém da Lagoa está recebendo um novo layout, com decoração de interior que valorize sua cultura e história. A área vai receber móveis modernos, alguns em cores diversificadas para gerar contraste entre a arquitetura antiga, propiciando um ambiente harmonioso e aconchegante para atrações.

“A intenção de usar o nome Armazém da Lagoa é porque no passado a região onde é o prédio da Central do Brasil, praça Barão Homem de Melo, indo até a Albuquerque Lins, era conhecida como Alto da Lagoa, pois era o ponto mais elevado de uma região onde havia muitos brejos. Assim pretendemos usar esse nome para fazer o resgate desta história, trazer uma lembrança aos mais antigos de como a região era conhecida, usando o termo lagoa no local”, explicou a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Claudia Domingues.

Inclusive, no passado, a rua Albuquerque Lins era conhecida como rua da Lagoa. O local passou a se chamar Albuquerque Lins em 1978, na gestão do então prefeito Geraldo Alckmin.

Foto: PMP/divulgação

Sobre o uso da palavra ‘armazém’, seu significado pode ser encontrado em dicionários, que classificam como ‘construção de amplas dimensões e sem divisões internas’, ou seja, um sinônimo para galpão.

O secretário adjunto de Cultura e Turismo, Ricardo Flores, ressaltou que, “além do Festival, onde o espaço ficará aberto para utilização dos artesãos, a Prefeitura vai usar o espaço para vários projetos de cultura, turismo, exposição de artes. Nossa intenção é já realizar atividades a partir do último final de semana de agosto, sempre aos sábados e domingos, com atrações culturais, músicas e arte”.
Ele explicou que um dos objetivos também é “o fomento ao chamamento de artistas cadastrados na Secretaria de Cultura, bem como o estímulo aos projetos e também aos artesãos apoiados pelo Fundo Social de Solidariedade”.

O local terá uma infraestrutura que poderá atender a necessidade dessas atividades, como banheiros, área para acesso de pessoa com deficiências e outras características que tornarão o ‘Armazém da Lagoa’ em um completo centro de atividades culturais.