Início Aparecida Santuário Nacional celebra Semana Santa com adaptações na pandemia

Santuário Nacional celebra Semana Santa com adaptações na pandemia

Foto: Divulgação/Polícia Militar

Ritos serão simplificados e não vão contar com a presença de fiéis nas celebrações, que serão transmitidas

Assim como em 2020, a Semana Santa deste ano será realizada pela Igreja Católica dentro do contexto da pandemia. As celebrações, consideradas as mais solenes do calendário religioso, sofreram alterações para se adequar ao protocolo sanitário proposto pelas autoridades civis e religiosas.

(Foto: Thiago Leon/divulgação)

No Santuário Nacional de Aparecida (SP), um calendário especial foi preparado para o período, comemorado de 28 de março a 4 de abril. As cerimônias serão transmitidas pelas redes sociais da Basílica (Facebook e Youtube), pela Rede Aparecida de Comunicação e pelo aplicativo Aparecida. A presença dos fiéis, que em 2020 já não puderam participar dos rituais, também não será consentindo neste ano.

Publicidade

Desde o último dia 15 de março, o estado de São Paulo restringiu a participação do público nas missas em todo o território paulista como forma de frear o aumento de casos do novo coronavírus. De acordo com o Governo do Estado, as medidas da chamada Fase Emergencial vão vigorar pelo menos até o dia 11 de abril. Por isso, as celebrações do Semana, incluindo o Tríduo Pascal, poderão ser acompanhadas apenas pelos meios digitais.

“É diferente celebrar sem a presença dos devotos no interior da Basílica. Porém, nós temos a certeza de que milhares de pessoas nos acompanharão de suas residências pelos meios de comunicação. Elas rezam conosco de suas casas”, afirma o prefeito de Igreja do Santuário Nacional, padre Eduardo Ribeiro.

Esta será a única forma de participação dos fiéis neste Domingo de Ramos (28). A principal missa do dia acontece às 7h30 e será presidida pelo arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes. A cerimônia contará com a benção dos ramos, seguida por uma pequena procissão, composta apenas por religiosos, no interior da Basílica.

Em anos anteriores, a celebração se iniciava no Memorial dos Construtores, localizado no Jardim Norte do Santuário. Desta vez, por determinação do Vaticano e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o ato que recorda a entrada de Jesus em Jerusalém deve ser feito dentro dos templos, omitindo as procissões externas.

O modelo será seguido em outras duas missas que acontecem ao longo do domingo, às 12h e 18h. Todas as celebrações serão transmitidas pelas redes sociais do Santuário Nacional, Rede Aparecida de Comunicação e aplicativo Aparecida.

De segunda (29) a quarta-feira (31), o calendário de celebrações acontece nos horários tradicionais. A transmissão das missas pela Rede Aparecida de Comunicação acontece às 6h45, 9h e 12h na Basílica Nova. Às 18h, a transmissão será feita a partir da Basílica Velha de Aparecida.

Na Quinta-feira Santa (1º), sacerdotes que pertencem ao clero da Arquidiocese de Aparecida, ou que exercem seu ministério no território arquidiocesano, renovam seus votos sacerdotais na Missa do Crisma. Presidida por Dom Orlando, a celebração acontece às 9h na Basílica Nova. Durante o rito, que encerra o tempo da Quaresma, serão abençoados os óleos utilizados na administração dos sacramentos ao longo do ano.

O ponto alto da Semana Santa acontece durante o Tríduo Pascal, aberto com a Missa da Ceia do Senhor ainda na noite da quinta-feira. Também presidida pelo arcebispo de Aparecida, a cerimônia acontece às 20h no Altar Central da Basílica. Assim como no ano passado, por determinação do Vaticano, o tradicional rito do lava-pés será omitido da celebração. A medida foi adotada como forma de prevenção à Covid-19.

Na Sexta-Feira Santa (02), dia em que a Igreja convida os fiéis ao jejum e à abstinência de carne, tradicionalmente já não são celebradas missas. A principal cerimônia do dia, chamada de Celebração da Paixão do Senhor, acontece às 15h. O ritual também foi modificado em decorrência da pandemia e o tradicional beijo na cruz deve ser omitido. Além disso, uma oração especial será feita durante a cerimônia, recordando aqueles que sofrem com a pandemia.

“Costumo dizer que estamos simplesmente continuando a Semana Santa do ano passado, enquanto esse período todo foi de carregar a pesada cruz desta pandemia. É mais Nosso Senhor nos acompanhando como Cirineu do que nós propriamente acompanhando o sofrimento de Jesus Cristo”, acredita o diretor da Academia Marial de Aparecida, padre José Ulysses da Silva.

A principal celebração do ano, a Vigília Pascal, será rezada às 20h do sábado (3). Considerada a mais importante missa do ano, o ritual comemora a ressurreição de Jesus. Nela, será aceso o Círio Pascal, vela que representa Cristo Ressuscitado.

As comemorações pascais seguem pelo domingo (04). Na data, estão previstas até o momento três celebrações no interior da Basílica: às 8h, 12h e 18h. Caso a presença de fiéis seja admitida nestas celebrações, o número de cerimônias deve ser ampliado.

Fonte: Santuário Nacional