Início Polícia Ação da PM Ambiental apreende 22 aves em Pinda, Santa Branca e...

Ação da PM Ambiental apreende 22 aves em Pinda, Santa Branca e Jacareí

Foto: divulgação/Polícia Ambiental

Em ação realizada durante todo o sábado (13), a Polícia Ambiental apreendeu 22 aves nas cidades de Pindamonhangaba, Santa Branca e Jacareí. Entre as ameaças ou não de extinção, quatro delas eram hibridas, uma mistura de espécies proibida.

Foto: divulgação/Polícia Ambiental

Santa Branca

Publicidade

Três aves da fauna silvestre foram soltas após serem apreendidas na casa de um criador amador que tinha os animais mantidos em cativeiro de forma irregular, no bairro São José.

A apesar de o responsável ser um criador amador, às três aves encontradas — um pintassilgo e dois coleirinhos, não constavam em seu plantel — documento emitido pelo órgão que controla as aves de um criador amador de passeriformes.

O homem foi multado em R$1,5 mil e vai responder pelo crime. As aves, recém-capturadas, foram devolvidas à natureza em uma área de preservação na região.

Em Jacareí

Dois bairros foram fiscalizados pelos policiais. No bairro São João, a apreensão foi de onze aves. Duas Araras Canindé e um Patativa, ambos ameaçados de extinção. Três corrupiões, um pássaro preto e quatro aves híbridas, mistura de duas espécies.

Por manter aves em cativeiro sem autorização do órgão ambiental e permitir reprodução entre espécies diferentes, o responsável pelas aves foi multado em R$19 mil e vai responder pelo crime.

Já no bairro Jardim Ana Emília, os patrulheiros encontraram três canários-da-terra e dois pintassilgos. O homem que também não tinha autorização para ter os pássaros em cativeiro foi multado em R$2,5 mil e vai responder por manter aves em cativeiro sem autorização.

Os cinco pássaros foram devolvidos à natureza.

Foto: divulgação/Polícia Ambiental

Em Pindamonhangaba

No bairro Marica, os policiais encontraram três aves da fauna silvestre.

O proprietário do local que não tinha autorização para manter os pássaros em cativeiro foi multado em R$1,5 mil e vai responder pelo crime.

As aves, por não serem recém-capturadas foram encaminhadas para o órgão ambiental competente da região.