Início Esporte Vasco vence Atlético-MG por 3 a 2 e deixa o Z4

Vasco vence Atlético-MG por 3 a 2 e deixa o Z4

© Rafael Ribeiro/Vasco

Gigante da Colina segura Galo no fim após abrir 3 a 0 no placar

Com dois gols de Cano e um de Pikachu, o Vasco mostrou força em São Januário, derrotou o Atlético-MG por 3 a 2, chegou a 35 pontos, deixou a zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro e agora ocupa a 14ª colocação. Apesar de ter ficado maior parte do tempo com a bola, o Galo não foi bem na defesa, mesmo assim conseguiu fazer dois gols no segundo tempo depois de estar perdendo por 3 a 0. O Atlético permanece com 54 pontos, na quarta posição.

O JOGO

Publicidade

O Atlético-MG pressionou o Vasco desde o início. Com muita posse de bola, o Galo acuou os donos da casa e logo teve a chance de abrir o placar. Aos 12 minutos, após cobrança de falta pela esquerda, Léo Matos tirou com a mão e o lance foi analisado pelo VAR. O árbitro Vinícius Gonçalves Dias Araújo confirmou o pênalti. Hyoran foi para a cobrança e bateu na trave. No rebote, o próprio Hyoran finalizou para o gol, o que não é permitido, configurando dois toques.

O Vasco então passou a se organizar melhor na marcação e o Galo começou a errar. Aos 15 minutos, Yago Pikachu recebeu de Benítez, dominou e chutou de virada, com perigo. Dois minutos depois, veio o gol. Lançamento longo para Léo Matos, que Guilherme Arana não conseguiu cortar. O lateral cruzmaltino aproveitou a bobeada da defesa atleticana, tocou de cabeça para Cano que, de primeira, abriu o placar.

Logo depois do gol, o Vasco recuou ainda mais e passou apenas a se defender. O Galo teve chance do empate aos 21 minutos, quando Savarino chutou na trave esquerda de Fernando Miguel. Na primeira jogada trabalhada dos donos da casa, o Cruzmaltino chegou ao segundo gol, aos 31 minutos. Em um lance que começou no campo de defesa e passou por praticamente todos os atletas do Vasco, Pikachu aproveitou cruzamento de Benítez, a bola bateu na trave e no rebote o próprio Pikachu finalizou para ampliar. O Vasco ainda teve a chance de ampliar no fim do primeiro tempo, novamente com Cano, mas o argentino furou a finalização após novo cruzamento de Léo Matos.

O panorama do segundo tempo foi o mesmo do primeiro. Logo aos seis minutos o árbitro marcou pênalti de Leandro Castán em cima de Jair. O VAR entrou em ação e Vinícius Gonçalves Dias Araújo anulou a penalidade. O Vasco respondeu com um golaço em uma jogada que começou nos pés do goleiro Fernando Miguel e terminou com a matada no peito de Cano e um chute forte de perna esquerda no canto do goleiro Everson: 3 x 0.

Se o Gigante da Colina estava recuado, depois do terceiro gol praticamente parou de atacar. O Galo partiu para o tudo ou nada e diminuiu a vantagem aos 22 minutos. Hyoran recebeu passe de calcanhar e colocou a bola no canto direito de Fernando Miguel. O Atlético quase fez o segundo quatro minutos depois. Gabriel desviou de cabeça após escanteio e Fernando Miguel salvou.

O Vasco conseguiu controlar o ímpeto do adversário até os 43 minutos, quando a pressão do Galo aumentou. Marrony apareceu sozinho na pequena área depois de lançamento e cabeceou para fora. A equipe mineira só fez o segundo gol aos 48 minutos, com Eduardo Sasha, que aproveitou bobeada da defesa depois de cobrança de escanteio.

Apesar do esforço do Atlético-MG, o empate não veio. Melhor para o Vasco que saiu da zona do rebaixamento. O próximo compromisso do Gigante da Colina será na terça-feira (26), contra o Palmeiras, às 20h, no Allianz Parque, em partida adiada da primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O Galo enfrenta o Santos no mesmo dia e no mesmo horário, no Mineirão, em jogo atrasado da 28ª rodada.

Apesar da vitória sobre o Atlético-MG e de ter conseguido sair da zona de rebaixamento, com 35 pontos acumulados, o Vasco poderá perder a 14.ª posição no Brasileirão neste domingo (24) para o Fortaleza, que soma o mesmo número de pontos e jogará às 18:15h (hora de Brasília), com o Atlético-GO no estádio Antônio Accioly, em Goiânia. Mas independente do resultado, o Vasco não corre riscos de retornar ao  grupo dos clubes ameaçados de rebaixamento.