Início Pindamonhangaba Chuva recorde em dezembro exige atenção na zona urbana e rural de...

Chuva recorde em dezembro exige atenção na zona urbana e rural de Pindamonhangaba

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

A Defesa Civil de Pindamonhangaba está alertando a população sobre os cuidados neste período chuvoso histórico que o município vem enfrentando. Segundo os registros, o índice pluviométrico acumulado em dezembro, até o último domingo (27), já contabilizava um total de 427mm, maior índice em pelo menos 16 anos.

“Esse acumulado não foi distribuído uniformemente ao longo do mês tendo concentrado índices que chegaram até 90mm em um único dia. Essa situação ocasiona um solo encharcado por mais tempo e consequentemente um maior risco à escorregamentos de terra, fenômeno de ordem geológica e climatológica caracterizado como desastres naturais”, afirmou o diretor da Defesa Civil, eng. Josué Bondioli.

Publicidade

Os chamados mais frequentes da Defesa Civil vêm sendo ocorrências de alagamento e queda de árvores na zona urbana e queda de barreiras, fiação elétrica e árvores em estradas rurais.

Índice Pluviométrico – Mês Dezembro

2005 – 106 mm
2006 – 149,5 mm
2007 – 87,2 mm
2008 – 237 mm
2009 – 370 mm
2010 – 201 mm
2011 – 193 mm
2012 – 193 mm
2013 – 300 mm
2014 – 118 mm
2015 – 104,2 mm
2016 – 125 mm
2017 – 182,3 mm
2018 – 89,5 mm
2019 – 129,5 mm
2020 – 427 mm (até 28/12)
Dados: Defesa Civil Pinda

Cuidados especiais
A Defesa Civil alerta para os cuidados que a população deve observar. Na área urbana, deve-se ter atenção máxima aos riscos de alagamentos e enxurradas, não devendo arriscar passar com veículos no meio dos alagamentos, tendo em vista risco de abertura de crateras. Na área rural, o perigo de trafegar nas estradas durante a chuva é grande, bem como o risco de deslizamentos e erosões em estradas que podem ser inundadas por rios.

“Na menor constatação de fendas em morros e encostas ou água minando nas encostas e barrancos, a orientação é deixar o local imediatamente e procurar abrigo seguro, bem como acionar a Defesa Civil pelo 199”, afirmou o eng. Josué.

A Prefeitura também chama atenção dos banhistas que procuram rios e cachoeiras nesta época ado ano. “Esses locais estão suscetíveis a cabeças d’agua, um fenômeno de enxurrada repentina vindo da serra e não necessariamente de rios. No caso de incidência de raios, não busque abrigo embaixo de árvores e mantenha passos curtos andando calmamente evitando o fenômeno de diferença de potencial e risco de descarga atmosférica”, alertou.

Outra dica importante, refere-se à situação da vítima estar em veículo afetado por cabo de rede elétrica. Nesse caso, a orientação é para não sair do carro, evitando o choque elétrico, e acionar de dentro do veículo o Corpo de Bombeiros através do número 193.

“Lembramos também pedestres e condutores de veículo para não enfrentarem enxurradas e alagamentos devido ao risco de abertura de crateras ou formações de redemoinho em bocas de lobo ou postos de visita com tampas de ferro removidas pelas enxurradas”, explicou o coordenador da Defesa Civil.

A Prefeitura reforça a população para que em casos de ocorrência acione imediatamente a Defesa Civil, através do 199, CCO – Centro de Controle Operacional da Secretaria de Segurança Pública. Outra fonte de informações e ações preventivas que a população pode consultar é o portal da Defesa Civil Estadual, clicando no link:
http://www.defesacivil.sp.gov.br/emergencias-do-verao/