Início Pindamonhangaba Prefeitura prioriza ações para sanar focos de alagamento em Pinda

Prefeitura prioriza ações para sanar focos de alagamento em Pinda

Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

A Secretaria de Obras e Planejamento da Prefeitura de Pindamonhangaba vem investindo fortemente nos últimos anos para evitar novos pontos de alagamento e sanar os pontos que apresentam historicamente essa ocorrência.

“A velocidade do crescimento urbano, quase sempre é maior que o redimensionamento necessário de suas galerias para o escoamento de águas pluviais, motivo pelo qual enfrentamos o desafio de sempre ampliar a capacidade das nossas galerias”, afirmou o secretário adjunto de Obras, eng. André Salgado.

Publicidade

A Prefeitura informa que está em andamento, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), um estudo de Macrodrenagem, objetivando uma proposta de projeto de redes de galerias para o devido e eficiente escoamento de águas pluviais, mesmo em condições de chuvas extremas, para as principais bacias do município.

“Apesar de estarmos atuando com nossa equipe nos pontos mais críticos, permitindo resultados satisfatórios, é sempre necessário ações de maior impacto pois as artérias principais de escoamento, precisam ter capacidade para vazão de todas as linhas que recebem”, afirmou André.

Galeria do Parque das Nações
Exemplo dessa situação é a bacia existente no Bairro Parque das Nações, localizada na rua Dr Octávio Oscar Campelo de Souza que, há décadas sofre com alagamentos. A atual gestão iniciou a obra objetivando a reversão deste quadro, tendo em vista sofrimento da população que é testemunha da falta de investimentos de gestões passadas neste local.

Imagens mostram a execução da galeria no Parque das Nações em setembro deste ano; serviços complexos demandam continuidade da segunda fase para sanar problema histórico de enchentes bairro – Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa

“Realizamos neste ano uma primeira fase que abrangeu ações necessárias nesta rua e também na rua Caraguatatuba, aproveitando a estiagem para amenizar incômodos. A segunda fase, que deverá ligar a nova rede executada até o local desejado, aumentando a capacidade de escoamento, é ainda mais longa e com provável necessidade de desapropriações para sua concretização”, explicou André.

Segundo a prefeitura, é necessário agora realizar um levantamento topográfico criterioso, definição de trajeto, objetivando agilizar esta nova etapa. “Entretanto devemos considerar que os protocolos e trâmites exigidos pela administração pública devem ser obedecidos rigorosamente, e isto envolve os prazos que não são curtos. Nossa gestão está tratando esse caso como prioridade e investindo pesado para resolver esse foco no próximo ano de 2021”, finalizou o secretário adjunto de Obras.