Início Variedades Alunas e professoras do Colégio Poliedro realizam aulão beneficente para o Enem

Alunas e professoras do Colégio Poliedro realizam aulão beneficente para o Enem

Aulão será realizado neste sábado, 10 de outubro; inscrições serão feitas mediante doações destinadas para apoiar a Rede de Cursinhos Populares Ubuntu

Considerando as dificuldades que muitos jovens estão enfrentando para dar continuidade aos estudos em meio à pandemia e a proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), alunas e professoras do Colégio Poliedro, integrantes do coletivo feminista “Girl Up – Clube Vênus”, realizam, neste sábado (10 de outubro), um aulão beneficente preparatório para o Exame.

A imersão será realizada on-line, por meio da plataforma Zoom, das 11h às 18h, e abordará temas da área de Linguagens, códigos e suas tecnologias e Redação.

Publicidade

Para garantir a qualidade do conteúdo, três professoras do Poliedro – instituição com alto desempenho no Enem e líder em aprovação nos principais vestibulares do País – vão ministrar as aulas.

Para participar, os estudantes devem se inscrever neste link e realizar uma doação de qualquer valor. A verba arrecadada será usada para apoiar a Rede de Cursinhos Populares Ubuntu, que tem trabalhado firmemente para manter o acesso à internet dos alunos neste período de aulas à distância. Assim que realizada a inscrição, o link para a sala do Zoom será enviado por e-mail ao estudante.

“Além de desenvolver projetos e ações como essa, o Girl Up – Clube Vênus tem contribuído para o despertar da consciência social. Nossas alunas estão lutando para a construção de um mundo melhor para elas e para nós”, comenta Luiz Otávio Ciurcio Neto, coordenador do Ensino Médio do Colégio Poliedro São Paulo.

Com o apoio à Rede de Cursinhos Populares Ubuntu, o grupo amplia a sua atuação para além da igualdade de gênero. “Os jovens das regiões periféricas foram fortemente impactados com a falta de infraestrutura adequada quando o ensino à distância se tornou a única opção. Queremos ajudar a melhorar esse cenário para que eles continuem tendo a oportunidade de acompanhar as aulas e de dar sequência aos estudos”, explica Nayara Teixeira de Souza, aluna da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Poliedro e vice-presidente do Clube.

Conteúdo do aulão

Entre os temas que serão abordados no aulão, estão:

●      Características da prova de Linguagens e Códigos;

●      Técnicas mais indicadas para realizar uma boa interpretação de texto;

●      Habilidades requisitadas para obter um bom desempenho no Exame;

●      Competências que formam a grade de correção do Enem;

●      Possíveis temas de Redação;

●      Como planejar um texto coeso e com qualidade;

●      Além de dicas de como se preparar adequadamente no dia da prova.

O cronograma foi pensado de modo a oferecer informações relevantes para ajudar todos os estudantes na preparação. “Nossa expectativa é de que o aulão ajude os alunos a obterem condições mais igualitárias de acesso ao ensino e que estejam ainda mais preparados para o Exame Nacional do Ensino Médio. Também esperamos conseguir arrecadar verba para apoiar a Rede de Cursinhos Populares Ubuntu, que tem feito um trabalho admirável ao longo dos anos”, comenta Andressa Sayuri Morishima Teixeira, fundadora e presidente do Clube.

Girl Up – Clube Vênus nasce da Rede Girl Up, um movimento global da Fundação ONU

O Girl Up – Clube Vênus foi fundado em março de 2020 por meio de uma iniciativa de alunas da 3ª série do Ensino Médio do Colégio Poliedro São Paulo. Atualmente, o coletivo conta com 30 alunas, com faixa etária entre 15 e 18 anos, e tem como principal objetivo contribuir para a equidade entre gêneros. O grupo também faz parte da Rede Girl Up, um movimento global da Fundação ONU que treina, capacita e conecta meninas para que sejam líderes e lutem por seus direitos.

O coletivo feminista Girl Up Vênus já realizou outras ações desde a data de criação. No primeiro semestre de 2020, conseguiram organizar uma grande arrecadação de absorventes que impactou mais de 1.200 mulheres em situação de vulnerabilidade social.

“Diante de um período com tantas dificuldades que a humanidade vem enfrentando, o trabalho que nossas alunas vêm desenvolvendo em prol da igualdade, da equidade e da justiça social renova nossa esperança na educação e na transformação da sociedade”, conclui o coordenador Luiz Otávio.