Início Pindamonhangaba Secretaria de Saúde de Pinda esclarece demanda de consultas e exames e...

Secretaria de Saúde de Pinda esclarece demanda de consultas e exames e ações que estão sendo tomadas

(Foto: Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba)

Com a aprovação de um projeto de lei que torna obrigatório a divulgação de listagem de pacientes que aguardam consultas, exames e cirurgias na rede pública de saúde de Pindamonhangaba, a Prefeitura vem esclarecendo a atual demanda e as ações que já estão sendo tomadas.

Com a pandemia do coronavirus, o município não paralisou o atendimento de consultas para os pacientes que estavam com procedimentos em andamento e foi pioneiro ao implantar a teleconsulta para o paciente não perder a sequência de seu atendimento e em julho o atendimento presencial foi retomado.

Publicidade

Secretaria de Saúde é a favor da transparência
A Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba é favorável à transparência e não vê obstáculo em realizar a divulgação de dados dos pacientes, mas faz algumas ponderações. “Precisamos encontrar um caminho para não expor a privacidade dos pacientes. É bom lembrar que estamos lidando com vida e que tem ser humano que não gostaria de ter seu nome vinculado a uma lista pública. Temos que respeitar o coletivo e não podemos nos embasar em vontade particular”, afirmou a secretária de Saúde Valéria Santos.

Segundo ela é preciso deixar claro que o município trata toda a população de maneira igualitária e que a Secretaria de Saúde não concede privilégios, tendo inclusive já interferido em pedidos externos para furar fila em marcação de exames na Santa Casa local. “Importante deixar bem claro que a gestão da saúde ou o prefeito nunca manifestou-se contra à intenção desta lei. Somos contra projetos de lei mal elaborados, que tornam-se ineficazes. Entendemos que ela poderia ter sido melhor formulada, pois o legislador quando quer fazer uma lei tem que procurar a pasta, buscar as ideias em conjuntos, analisar e acompanhar”, afirmou.

A informatização da rede de saúde municipal
Para atender os dispositivos da nova legislação, a Secretaria de Saúde deve estar integralmente informatizada. Segundo Valéria, essa meta vem sendo perseguida desde o início da atual gestão.

“Por incrível que pareça quando iniciamos a gestão encontramos unidades que sequer tinham cabeamento de informática, outras unidades com equipamentos obsoletos. É um processo, aos poucos fomos equipando a nossa rede com condições de receber um novo sistema de gestão que possa filtrar os dados e tenha possibilidade de atender a nova lei. Hoje, da forma que está, não temos condições satisfatórias de disponibilizar essas informações. Mas com o prazo estipulado já estamos trabalhando para atender em curto prazo”, afirmou Valéria.

(Foto: Prefeitura Municipal de Pindamonhangaba)

Demandas de consultas e exames
De acordo com as informações da secretária, a oferta nunca será maior que a demanda e as ações visam diminuir cada vez mais essa distância, buscando atendimento mais rápido. Sobre as consultas, os casos mais emblemáticos são as especialidades de oftalmologia, endocrinologia, cardiologia, dermatologia e reumatologia.

“As demais especialidades estão administráveis. São muitos os obstáculos, por exemplo, na cardiologia perdemos um profissional, mas já estamos buscando reforço na equipe. A urologia era um problema sério e hoje conseguimos equilibrar. A neurologia também ficou um período descoberto com um médico que se acidentou e outro que pediu demissão; fizemos contratação e a fila diminuiu. Neuropediatria também melhoramos”, explicou.

Oftalmologia terá mutirão de consultas e exames
A Prefeitura informou que oftalmologia tem a maior demanda das especialidades. “Oftalmo sempre foi um grande problema, com demanda de 5 a 6 mil consultas na fila, porém hoje essa demanda é inferior a 4 mil consultas. Já está no Departamento de Licitação, desde fevereiro deste ano, um processo para a contratação de uma empresa com uma unidade móvel para realizar mutirão com profissionais da área, consultas e exames. Estamos em fase de esclarecimento do edital – pregão 10/2020, e em breve ele será aberto para a participação das empresas”, afirmou Valéria. Ela lembrou que casos emergenciais nesta especialidade não estão desassistidos, podendo o munícipe procurar o Pronto-Socorro, que tem uma retaguarda para avaliar a urgência.

AME do Estado precisa ser inaugurado
Valeria Santos aproveitou e pediu um engajamento de todas as forças políticas da cidade para acelerar junto ao governo do Estado a inauguração do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) que irá agilizar o atendimento de consultas e exames. “Em janeiro último, o prefeito Isael enviou ofício ao governador João Dória pedindo esforços para acelerar essa entrega. Três microrregiões do Vale do Paraíba (Caraguatatuba, Lorena e São José) já têm AME e apenas Taubaté, a qual Pinda está pactuada, ainda não tem esses serviços essenciais para a nossa saúde pública”, afirmou Valéria.

Retorno das cirurgias eletivas
A Secretaria de Saúde também está discutindo com a Santa Casa o retorno das cirurgias eletivas. “A ideia era voltar em julho, mas devido ao pico do coronavírus na cidade, adiamos para agosto. Estamos analisando a retomada desses procedimentos e vamos definir também que após a pandemia faremos mutirões para atender a demanda e reduzir a espera”, esclareceu.

Comunicação é fundamental
A Prefeitura de Pindamonhangaba ressalta que a transparência do atendimento da Secretaria da Saúde sempre será prioridade e que o munícipe conta com diversos canais para buscar a informação correta sobre seus procedimentos. “Temos a plataforma digital 1Doc, temos nosso aplicativo E-Ouve da Ouvidoria Municipal e atualmente contamos com o Disk Corona 0800 878 9629 que estão a disposição para qualquer esclarecimento. Não hesitem em nos procurar, estou diariamente na Secretaria de Saúde sempre à disposição da população”, finalizou Valeria Santos.