Início Pindamonhangaba Prefeitura de Pinda divulga recomendações para pacientes curados de coronavírus

Prefeitura de Pinda divulga recomendações para pacientes curados de coronavírus

(Reuters/Bruno Kelly/Agência Brasil)

O novo coronavírus, causador da covid-19, chegou em Pindamonhangaba em 06 de abril, quando o primeiro morador da cidade foi testado positivo e soma hoje após quase quatro meses, um total de 892 pessoas infectadas. Deste total, o número de pessoas consideradas recuperadas e de alta médica já totaliza quase 430.

O município apresenta hoje, até o boletim divulgado no último domingo (2), um índice de recuperação de 48%, índice de letalidade de 2,4% e o percentual restante encontra-se em tratamento (domiciliar ou hospitalar).

Publicidade

Estes dados são consistentes com os dados observados pelo mundo neste momento epidemiológico que nos encontramos.  

Como a doença é novidade para o mundo todo, sempre fica aquela dúvida: quando alguém pode ser considerado recuperado de covid-19?

A OMS considera que na maioria dos casos de covid-19, o tempo entre o início dos sintomas e a recuperação é de 14 dias, e a partir desta data o paciente é considerado curado.

Com o crescimento do número de recuperados, a Secretaria de Saúde de Pindamonhangaba informa que o acompanhamento desse grupo será intensificado pelos profissionais da área, mas lembra que algumas regras precisam ser esclarecidas à população.

“O paciente que fez tratamento domiciliar de covid-19 e cumpriu o seu isolamento de 14 dias pode ficar seguro que não irá promover mais a transmissão. É normal que um ou outro sintoma, ainda leve, permaneça. Mas isso não é sinônimo de transmissibilidade”, afirma a pneumologista Dra Mariah Prata.

Para essas situações de persistência de sintomas, ela orienta que o munícipe procure orientação de um profissional de saúde.

Outra informação importante que devemos destacar é que o paciente recuperado de covid-19 que more com outro familiar também positivado, após a quarentena de 14 dias não precisa mais permanecer isolado pois não transmitirá mais o vírus. “A recomendação é que ao sair, esse paciente recuperado faça uma assepsia correta das mãos, utilize sempre roupas limpas para evitar carregar o vírus em suas vestes, ou objetos, e evite também o contato com o outro familiar testado positivo de sua casa devido a possibilidade de contaminar superfícies”.

Quadros diferenciados

Segundo os profissionais da saúde, as apresentações clínicas do covid-19 são muito variadas. Desde pessoas sem sintomas até muito graves, com necessidade de internação.
Pacientes que tiveram poucos sintomas, com um quadro parecido com um resfriado ou uma gripe, se recuperam bem e não costumam ter nenhum problema depois desses 14 dias.

Outro quadro são os pacientes com doença moderada, que precisaram de suporte hospitalar, porém sem a necessidade de unidade de terapia intensiva (UTI). Estes podem apresentar sensação de cansaço e fadiga por tempo mais prolongado por exemplo, mesmo após a alta. E para voltar às suas atividades normais acabam procurando os serviços de saúde novamente para seu processo de reabilitação.

As consequências mais sérias, e sequelas, têm sido observadas em pacientes que desenvolvem os quadros graves da covid-19, e que estiveram em UTI. Nesse caso, as complicações muitas vezes vão além do pulmão, como insuficiência renal e problemas de coagulação, o que exige um período mais prolongado para recuperação.

A pneumologista Dra Mariah Prata aconselha que os pacientes recuperados que continuem apresentando sintomas, como cansaço e fadiga, busquem o serviço de saúde para acompanhamento médico.

O retorno às atividades e à prática de exercícios físicos deve ser lento e supervisionado.

Para todos os casos recuperados, as medidas de higiene devem sempre permanecer, como lavar as mãos (álcool em gel ou água e sabão), uso de máscaras e respeitar o distanciamento social.