Início Variedades Poker online e e-sports em alta: o sucesso brasileiro nas modalidades online

Poker online e e-sports em alta: o sucesso brasileiro nas modalidades online

“Arena de e-sports que sediou a final do campeonato mundial de League of Legends” Foto: by Patar knight

Na última década, o Brasil deu um passo importante de crescimento estrutural ao fortalecer a sua rede de internet para boa parte da população, conseguindo alcançar 70% dos habitantes. Ainda que esteja um pouco longe dos melhores índices do mundo, essa estatística coincidiu com o crescimento do país em diversas áreas e setores tecnológicos que exigem conexões estáveis na rede virtual, como é o caso do poker online e dos esportes eletrônicos (e-sports).

O avanço dos recursos tecnológicos aliada à paixão por competição de uma grande parcela dos brasileiros levaram o país a voar alto nas modalidades competitivas online. Tanto no poker online quanto nos e-sports, os números comprovam que o Brasil se tornou uma grande potência no cenário internacional nos últimos anos e com boas perspectivas para permanecer entre os melhores.

Publicidade

Poker online brasileiro em excelente fase

Jogo secular e difundido pelos estadunidenses, o poker passou por diversas transformações em toda a sua história até se tornar uma modalidade respeitada mundialmente e conhecida no Brasil. A grande vitória do poker mundial veio em 2010, quando a modalidade foi reconhecida oficialmente como esporte da mente em assembleia da IMSA (International Mind Sports Association).

De lá para cá, o poker profissional ganhou muita força. Além do reconhecimento como esporte da mente, o advento da internet e a expansão da banda larga deram ao poker novos patamares.

Se há alguns anos o poker de alto nível estava concentrado em poucos países, atualmente o esporte das cartas conta com representantes de peso em todos os continentes. Na América do Sul, o Brasil é a principal potência e já caminha para se firmar como uma das maiores forças da modalidade nos próximos anos.

O sucesso dos brasileiros em eventos recentes da Copa do Mundo de Poker Online retrata muito bem o altíssimo nível de disputa que a modalidade atingiu no país. Os resultados foram impressionantes nas últimas duas edições de mundiais: melhor desempenho entre todas as nações em 2018 e segunda colocação em número de conquistas no ano seguinte.

São vários os fatores que contribuem para o sucesso dos jogos de poker online no país. Um dos principais é a grande seleção de craques brasileiros que ajudaram a elevar o patamar da modalidade no início da década, como o paulista Caio Pessagno e o mineiro João Simão.

Craque no poker online e um dos jogadores mais vitoriosos da história do esporte das cartas no país, Caio Pessagno construiu uma grande trajetória na modalidade. Em 2013, o paulista conseguiu o que pouquíssimos jogadores brasileiros alcançaram na história do poker online: chegar ao posto de número um do mundo no ranking mundial da modalidade.

Já o mineiro João Simão atingiu o posto de melhor jogador do mundo de poker online em 2016, temporada na qual ele teve uma das melhores performances da história do esporte das cartas. O jogador de Belo Horizonte passou ao menos três temporadas como um dos melhores do país e, desde 2019, diminuiu a carga de torneios para se dedicar à família e também trabalhar em outros projetos.

Além do grande número de atletas que fazem sucesso em grandes eventos de nível internacional, sites de grande porte como do 888 Poker Brasil oferecem torneios gratuitos diariamente para o público amador e profissional, algo que contribui muito para elevar o nível de disputa da modalidade no país.

De acordo com o ranking do PocketFives (conteúdo em língua estrangeira), site especializado em poker online, o Brasil conta com 25 jogadores no top 100 do ranking mundial — marca que pouquíssimos países já alcançaram na história da modalidade.

Os e-sports em ascensão no Brasil

Foi-se o tempo em que os jogos eletrônicos eram somente uma brincadeira entre amigos. Segundo um levantamento da Newzoo, agência global de marketing especializada nos e-sports, o mercado de jogos eletrônicos movimentou US$ 1,1 bilhão em 2019 — número nunca antes registrado na história dos e-sports.

Em 2019, foram 885 grandes eventos de esportes eletrônicos no mundo. Para se ter uma ideia do status atual dos e-sports, as competições envolvendo os jogos digitais geraram um total de US$ 56,3 milhões em receitas de ingressos no ano passado, acima dos US$ 54,7 milhões em 2018.

O Brasil, como terceira maior audiência do mundo em e-sports — atrás de Estados Unidos e China —, tem importante participação no crescimento econômico dos esportes eletrônicos na América Latina. Em 2019, cerca de 21 milhões de telespectadores brasileiros assistiram a algum evento de e-sports — número que representa crescimento de 20% em relação a audiência de 2018.

De acordo com um levantamento da PwC (PricewaterhouseCoopers) Brasil, empresa referência de pesquisas no setor, a expectativa é que o gasto com games no país atinja a marca de US$1,4 trilhão em 2023. Para efeito de comparação, em 2018 foram gastos US$ 824 bilhões com jogos eletrônicos no Brasil.

13º no ranking mundial dos países que mais gastam com esportes eletrônicos no mundo, o Brasil tem cerca de 75 milhões de gamers e a plataforma mais utilizada para jogar é o smartphone. Segundo uma pesquisa realizada pela Newzoo no ano passado, 83% dos gamers brasileiros jogam no smartphone e uma das principais razões para que isso ocorra é a praticidade que a plataforma oferece.

Popularidade em alta: times de futebol surfando na onda dos e-sports no Brasil

A paixão dos brasileiros com os jogos vem trazendo altos níveis de popularidade no streaming e os times de futebol estão de olho nesse fenômeno. De acordo com a empresa Riot Games, a audiência da final do Campeonato Brasileiro de League of Legends 2019 bateu recorde de público em transmissões do gênero no país, com um pico de 316.000 espectadores simultâneos em plataformas online.

Vale destacar que a final do torneio foi realizada no Rio de Janeiro e contou a presença da equipe de e-sports do Flamengo na decisão. Além do League of Legends ser considerado o maior e-sport do mundo, é fato que a marca Flamengo contribuiu muito para uma grande audiência na decisão do campeonato nacional, já que o Rubro-Negro carioca é dono da maior torcida de futebol do país.

“Sabíamos que a escolha do Rio de Janeiro, uma das comunidades mais apaixonadas do League of Legends no Brasil, faria da nossa Final uma grande festa. Além disso, atingimos recordes de audiência durante a transmissão, tanto em canais digitais como pela televisão por assinatura, o que comprova a importância dos e-sports e a força da comunidade de League of Legends no Brasil”, disse Carlos Antunes, diretor de e-sports da Riot Games no Brasil, em declarações ao site Folha de Pernambuco.

Em novembro do ano passado, o Corinthians também mostrou sua força nos games e alcançou um feito inédito ao conquistar a Free Fire Pro League 2019 — correspondente ao campeonato mundial do game Garena Free Fire. O evento aconteceu no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, com a grande final sendo acompanhada por mais de um milhão de espectadores simultâneos no YouTube.

Não para por aí. Além de Flamengo e Corinthians, outros times conhecidos do futebol brasileiro, como Santos, Athletico-PR, Remo, Avaí e Cruzeiro, também enxergaram boas possibilidades de alavancar suas respectivas marcas no setor e investem recursos nos esportes eletrônicos.