Início Pindamonhangaba Decretos municipais continuam em vigor; isolamento social é melhor forma de conter...

Decretos municipais continuam em vigor; isolamento social é melhor forma de conter o contágio do coronavírus

(Fotos: Saulo Fernandes/Vale News)

Para a Organização Mundial da Saúde, o isolamento social ainda é o método mais eficaz para conter a pandemia do coronavírus. Os decretos municipais continuam em vigor.

Em entrevista coletiva realizada na tarde de quarta-feira (1), o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, voltou a frisar a necessidade de diminuir a movimentação social. “Não é hora de relaxar. Temos que diminuir ao máximo a movimentação social, temos que proteger as pessoas acima dos 60 anos, que representam 90% dos óbitos por coronavírus até o momento. Os jovens são o grande elemento de dispersão dos vírus e não estão imunes”, afirmou.

Publicidade

Reforçando a ideia do isolamento social, o Ministro explicou ainda que a pandemia gerou uma busca muito grande por insumos e equipamentos hospitalares, e equipamentos de proteção individual, como máscaras, luvas e gorros, que os fornecedores já não estão conseguindo produzir para todos os países que necessitam. “A pandemia parou a produção de EPIs para os profissionais dos hospitais do mundo todo, não só para corona, mas para operar todas as emergências. Quando o sistema cai, cai para todo mundo. Para o momento, o que mais protege a vida é que aumentemos e façamos o máximo possível para diminuir a dinâmica social, pelo menos para termos tempo de abastecer o país com os equipamentos necessários”, disse Mandetta.

Até o momento, o país tem 6836 casos confirmados e 241 mortes por coronavírus. No Estado de São Paulo, os números de confirmação aumentaram de 2339 no dia 31 de março para 2981 no dia 1 de abril, o que representa 27% de aumento de casos de coronavírus.

Subiu para 164 o número de mortes pelo novo coronavírus no estado de São Paulo, de acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde, divulgadas nesta quarta-feira (1). Com 28 mortes registradas entre os dias 31 de março e 1 de abril, o estado tem recorde de mortes desde o início da pandemia. Por isso, o Governo do Estado de São Paulo continua reforçando o pedindo para a população: “Fique em casa”.

Em Pindamonhangaba, o número atual de notificações é de 93, sendo 72 pessoas residentes em Pinda e 21 pessoas de outros municípios que vieram procurar atendimento nos hospitais da cidade. São 8 suspeitos hospitalizados e 70 aguardando resultado. No total, Pinda conta com 3 mortes suspeitas do coronavírus e apenas um caso confirmado de morador de Taubaté que procurou atendimento em Pinda e já recebeu alta. Tecnicamente, o caso é computado para o município de Taubaté.

Contudo, de acordo com a Secretaria de Saúde da Prefeitura, é necessário que os resultados dos exames cheguem do Instituto Adolfo Lutz para que se tenha um panorama mais preciso sobre a incidência do coronavírus em Pindamonhangaba. Enquanto isso, todas as ações possíveis estão sendo tomadas, quanto à aquisição de equipamentos, contratação de profissionais e aumento de leitos, entre outras, preparando a cidade para quadros mais graves de casos. “Diariamente os dados são avaliados pela nossa equipe técnica da Secretaria de Saúde e, enquanto os estudos não apontarem para uma flexibilização segura de abertura do comércio, a ordem continua sendo seguir a Organização Mundial de Saúde, o Governo Federal e o Governo Estadual, indicando que a população fique em casa”, afirmou a secretária de Saúde, Valéria dos Santos.

Desta forma, continuam valendo o Estado de Emergência para Pindamonhangaba e os decretos que determinam diretrizes para prevenção, como a suspensão de atividades que proporcionem aglomeração de pessoas e a abertura apenas do comércio de produtos essenciais, como alimentação e saúde. “A todos aqueles que podem, pedimos que até o momento permaneçam em suas casas. Certamente a cidade, o estado, o país e o mundo enfrentarão nos próximos meses uma grande crise, por isso estão sendo tomadas medidas federais e municipais no âmbito social e fiscal, para apoio das pessoas que mais precisam”, explicou o prefeito de Pindamonhangaba, Isael Domingues.