Início Variedades A Importância do Fortalecimento Muscular para combater lesões

A Importância do Fortalecimento Muscular para combater lesões

(Foto: divulgação/assessoria de imprensa)

As pessoas começam a praticar atividades físicas para combater o sedentarismo e ter uma vida saudável. No entanto, não imaginam que a cada passo dado podem estar se aproximando de um problema comum, muitas vezes subestimado: as lesões.

Toda atividade física deve ser orientada para a prática adequada. A superação e a dor fazem parte da rotina de quem treina, mas se a dor é persistente e o prejudica na atividade, isto indica que há algo errado, é um alarme do corpo.

Publicidade

O educador físico e personal Eid Nogueira, de São josé dos Campos alerta aos praticantes a ver com um médico se há algum tipo de impedimento para exercícios físicos, e o próximo passo é se conscientizar de que cada pessoa possui características físicas diferentes, como idade, biótipo, peso.

(Foto: divulgação/assessoria de imprensa)

“A pessoa deve evitar a se exercitar sozinho, sem o suporte de um profissional de educação física e nem pensar em reproduzir o treino de um amigo ou familiar. Portanto, as orientações devem ser individualizadas”, comentou Eid Nogueira.

Então, para quem inicia atividade e para não se lesionar a dica é começar com exercícios aeróbicos de baixo impacto como caminhadas, bicicleta ergométrica.

“A intensidade e a duração devem ser aumentadas de acordo com o ganho de condicionamento físico. Ao mesmo tempo, é aplicado um treino de fortalecimento muscular para agregar força e resistência ao corpo e permitir uma evolução física sadia”, explicou o educador físico.

Agora há casos, que mesmo para um praticante experiente, com treinos diários pode ser surpreendido por algum tipo de lesão, seja ela ocasionada por agente externo ou não. Para estes casos, há técnicas para fazer uma reabilitação pós – trauma.

Foi que aconteceu com uma das alunas de Eid Nogueira, Isabelle Nascimento, de 32 anos, que treina na academia e faz preparação para corrida. Durante as férias, torceu o tornozelo e teve uma distensão nos tendões.

“Neste caso, o trabalho do educador físico veio acompanhado do trabalho de um fisioterapeuta e de um ortopedista. As técnicas utilizadas são de movimentos articulares, inicialmente com sobrecarga mínima. Gradativamente é incrementado a sobrecarga, à medida que o cliente se sente confortável, nessa fase é importante que exista uma comunicação entre ambos, além do conforto para prática do exercício na região lesionada. É fundamental esse controle da intensidade para que não haja uma ampliação da lesão. O objetivo nessa fase é a melhoria da estrutura muscular como a diminuição da inflamação e o fortalecimento muscular. O acompanhamento faz parte de um trabalho do personal, do ortopedista e do fisioterapeuta. Nesta etapa há um cuidado muito grande, para que não haja aderência de tecidos ou estrutura ligamentosa e ósseas, o que traria um grande prejuízo”, explicou Eid Nogueira.

No geral, tanto para iniciantes ou para os praticantes experientes, as dicas podem ser as mesmas para evitar lesões:

Siga a orientação profissional e consulte um médico

Respeite o limite do corpo

Hidrate-se

Faça aquecimento, alongamento e descanse.

Não podemos esquecer que as dores e lesões provocam frustração, desânimo e impaciência durante o treinamento de recuperação, mas que isso, não seja motivo para o abandono das atividades físicas. O tratamento das lesões por sobrecarga articular geralmente não se resolve na velocidade que os “atletas” desejam.