Início São José dos Campos Startup São José abre caminho para mais inovação

Startup São José abre caminho para mais inovação

Foto: Lucas Cabral/PMSJC

A antiga Casa do Café, localizada no interior do Parque da Cidade, passa a sediar, a partir desta quarta-feira (16), o programa Startup São José, desenvolvido pela Prefeitura de São José dos Campos. A solenidade de inauguração ocorrerá às 9h.

A Prefeitura investiu no local cerca de R$ 400 mil, entre reforma do prédio e instalações de novo mobiliário e sistema de informática. A reforma no prédio foi realizada com autorização do Compahac (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Artístico). A área do imóvel tem cerca de 1.000 m².

Publicidade

A previsão é que de 6 a 10 startups, escolhidas com base no edital divulgado, ocupem este novo centro de empreendedorismo e desenvolvimento tecnológico. O edital para interessados ainda está aberto tanto para empresas como para parceiros que participarão das atividades de aceleração e mentoria.

Entre as oportunidades para as futuras startups estão negócios na área de TI (tecnologia da informação), mas também em áreas ligadas à moda, vídeo games, artesanato, entre outras.

O objetivo da Prefeitura com o empreendimento é permitir que pessoas que tenham potencial, tenham acesso ao desenvolvimento acompanhamento de seus projetos que tenham base em inovação para o mercado.

Cidade tecnológica

O programa Startup São José é mais uma estrutura que se forma que terá atuação conjunta com instituições que já são expoentes nacionais e mundiais como o DCTA, o parque tecnológico da Univap, o Parque Tecnológico de São José dos Campos (vinculado à Prefeitura), ITA, Fatec, Unifesp e da Unesp, além das empresas que investem consideravelmente em pesquisa e desenvolvimento.

Casa do Café

Este prédio histórico, foi uma das primeiras edificações das fazendas de Olivo Gomes, construído provavelmente na década de 30, para beneficiar arroz e café.

A instalação funcionou até 1968. Em seguida, tornou-se depósito de ferramentas e de produtos da fazenda até 1993. Em 1996 a Prefeitura utilizou o prédio para abrigar uma unidade da Fundação Hélio Augusto de Souza (Fundhas) e um depósito da Secretaria de Serviços Municipais. Entre 2004 e 2005, o prédio recebeu uma série de obras para abrigar a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.