Início São José dos Campos Sesc São José dos Campos leva o Circuito Sesc de Artes para...

Sesc São José dos Campos leva o Circuito Sesc de Artes para as cidades de Paraibuna, Ubatuba e Caraguatatuba

Realidade Virtual (Foto: Alexandre Nunis/divulgação)

A programação acontece entre os dias 12 e 14 de abril

O Circuito Sesc de Artes chega às cidades de Paraibuna, Ubatuba e Caraguatatuba, nos dias 12, 13 e 14 de abril, respectivamente. Na programação, destaque para o show da cantora e compositora carioca Mahmundi, que vem construindo uma sonoridade própria com elementos de eletrônica, indie pop e MPB.

O seu novo disco Para Dias Ruins, vai do charme carioca à bossa nova. Já a Cia da Tribo apresenta o espetáculo Água Doce, que mescla atores e bonecos, para recontar o mito da Iara e os seres das comunidades ribeirinhas, como a Cobra Grande e as Três Marias.

Publicidade

De atmosferas poéticas a explosões de cenas, de performances solo a grandes grupos, de trabalhos manuais a realidade virtual, o CIRCUITO SESC DE ARTES envolve 100 programações culturais em mais de mil apresentações artísticas em espaços públicos, sempre com atrações gratuitas para todas as pessoas. Realizado desde 2008, o Circuito tem como objetivo estimular a circulação e a difusão de trabalhos artísticos, inspirar diversos usos para os espaços públicos e ampliar as possibilidades de convivência.

Confira a programação completa da região:

Cidades

Paraibuna – Dia 12 de abril, sexta-feira.

Largo do Mercado.

Ubatuba – Dia 13 de abril, sábado.

Praça Nóbrega, 54 – Centro.

Caraguatatuba – Dia 14 de abril, domingo.

Praça do Caiçara – Avenida Anchieta, s/n – Centro.

Atrações:

Música

Mahmundi (RJ)

A cantora e compositora vem construindo uma sonoridade própria com elementos de eletrônica, indie pop, MPB e uma voz característica. Depois de lançar dois EPs e um disco independente, em que se destacaram as canções Vem (Selah), Calor do Amor e Eterno Verão, atualmente, ela divulga o álbum Para Dias Ruins, que vai do charme carioca à bossa nova.

Teatro

Água Doce – Cia. da Tribo (SP)

Com atores e bonecos, o espetáculo lembra o mito da Iara e os seres das comunidades ribeirinhas, como a Cobra Grande e as Três Marias. Na história, Abaré se aventura pelos rios para encontrar sua irmã, Iara, com o objetivo de recuperar águas poluídas e dar nova vida a peixes e outros animais. Vinda de uma grande cidade, a companhia explora a cultura regional em diálogo com a vida urbana em seus trabalhos.

Dança

Oficina de Dancehall – NG Coquinho (SP)

A equipe de dançarinos, DJs e cantores convida o público a compartilhar a pista e conhecer essa dança e música típica da Jamaica. O estilo nasceu no fim dos anos 1970 na Jamaica como um subgênero do reggae, mas evoluiu com os elementos eletrônicos e digitais, ficou mais acelerado e se aproximou do ragga e até mesmo do rap.

Circo

Trixmix Cabaret – Trixmix (SP)

O elenco do coletivo Trixmix se inspira nos antigos cabarés europeus para apresentar um show de variedades com clima da Belle Époque. Os números incluem técnicas de circo, teatro, mágica, dança, humor, poesia e música ao vivo, em um espetáculo que vai encantar o público de todas as idades.

Tecnologias e Artes

Brinquedos de montar e animar – Estúdio Dupla (SP)

Combinando arte manual e a tecnologia do corte a laser, a oficina convida os participantes a criar personagens em três dimensões com peças pré-cortadas pelos arte-educadores, que são ilustradores e animadores. Depois da montagem, as criações são fotografadas para produção de pequenas animações em stop motion, com aplicativos fáceis e gratuitos que podem ser instalados nos smartphones do próprio público.

Artes Visuais

Pomporom-pompom! – Ateliê Luthieria Poética (SP)

A partir de pompons de lã, os participantes da oficina poderão criar vários objetos, com orientação dos arte-educadores: capa para banquinho, pequenos tapetes, acessórios, chaveiros e até mesmo monstrinhos e personagens.

Literatura

Intervenção Objetos Poéticos – Selma Maria Kuasne (SP)

Você já viu um tamanco manco? Ou uma lata de cabeça pra baixo que vira um vira-lata? Aos participantes da atividade, a artista e escritora propõe um olhar poético e lúdico sobre o entorno e o cotidiano para reinventar nomes dos objetos e palavras da língua portuguesa em trocadilhos visuais e tridimensionais.

Cinema

Cinema em Realidade Virtual – Parceria com a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (SP)

Realidade Virtual (Foto: Alexandre Nunis/divulgação)

O público é convidado a experimentar a tecnologia imersiva que vem abrindo possibilidades de linguagens de cinema e novas formas de contar histórias. Será apresentado um panorama da produção recente com filmes curtos que exploram novos caminhos para a experiência em VR (“virtual reality” / realidade virtual).