Início Variedades Pandemia Agrega Valor às Empresas de Tecnologia e Investidor fica Antenado

Pandemia Agrega Valor às Empresas de Tecnologia e Investidor fica Antenado

(Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa)

Em tempos de pandemia, o comportamento e as relações interpessoais ganharam novas nuances. O uso de tecnologias está em evidência, tanto para pedir alimentos quanto para reuniões de trabalho em home office. A consequência do uso da comunicação virtual foi parar na Bolsa de Valores, com valorização de ações de empresas do ramo das comunicações e das tecnologias.

O assessor de investimentos Gustavo Neves, da Plátano Investimento – XP Investimentos de São José dos Campo, explica que as empresas de tecnologia têm sido uma forte opção de investimentos em momentos de crise, desde o final do século passado.

Publicidade

“Por possuírem forte adaptabilidade, eficiência, baixo custo operacional e alta lucratividade, as empresas de tecnologia são uma excelente forma de diversificar as opções de investimento em uma carteira de ativos”, explicou o assessor de investimentos da Plátano.

Boa parte das empresas de capital aberto sofre com essa crise, por ter que lidar com a grande volatilidade. Por outro lado, as empresas como a de videoconferência Zoom conseguiram um resultado expressivo no mercado de ações.

A própria Plátano Investimentos há três anos utiliza o Zoom e viu neste período de quarentena o uso aumentar tanto para conversas entre os assessores quanto para reuniões com os clientes.

“O Zoom ganhou projeção por conta de oferecer funções diferenciadas entre elas, armazenamento ilimitado na nuvem e separação dos participantes em grupos durante a reunião. Permite também trabalhar em equipe em tempo real e trocar mensagens de texto. Consequentemente, o resultado foi o sucesso da empresa na Bolsa de Valores e seu valor de mercado cresceu neste período, com seus papeis negociados na Nasdaq”, complementou Paulo Naressi, sócio da Plátano Investimentos.

Durante o período de quarentena as empresas de tecnologia listadas no S&P500, que representa as 500 principais empresas negociadas na bolsa de valores americana, tiveram um desempenho acima do esperado, acumulando altas sucessivas com seus intensos processos de inovações constantes.  

“Atualmente existem 5 empresas de tecnologia representando 18% do índice S&P500, mesmo sendo apenas 1% do total de empresas que compõe esse quadro.  São elas: Facebook, Google, Amazon, Microsoft e Apple, empresas essas que dispensam apresentações por serem mundialmente conhecidas. O fator gerador de valor entre essas empresas é seu caráter inovador” disse Neves.

Além do Zoom, que hoje vale aproximadamente R$ 280 bilhões, um outro exemplo de crescimento nesta pandemia é a Amazon. A empresa que atua na área de e-commerce vale agora mais de US$1Trilhão, e contratou mais de 100 mil pessoas para atuarem neste momento de confinamento. A Netflix também viu seu valor de mercado crescer em mais de 100%, chegando em torno de US$ 187,3 bilhões, tendo ganhado na quarentena 16 milhões de novos assinantes.

“Hoje é possível investir nessas empresas através de uma estrutura financeira com capital protegido, que garante no mínimo o valor investido, podendo o investidor auferir ganhos com a alta das ações americanas. Para isso, é importante contar com as orientações de um assessor de investimentos, para saber como funciona o investimento em ações negociadas na bolsa de valores americana” comentou Gustavo Neves, da Plátano Investimentos de São José dos Campos.

A expectativa do mercado financeiro é que esta onda de valorização das empresas de comunicação e tecnologia não seja passageira porque a “normalidade” do pós- covid 19 deverá contar ainda mais com esses recursos, que tendem somente a se modernizar e se fazerem necessários cada vez mais no dia a dia.