Início São José dos Campos Galeria Poente abre edital para exposições em São José dos Campos

Galeria Poente abre edital para exposições em São José dos Campos

(Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa)

Artistas da região podem se inscrever gratuitamente

A Galeria Poente, galeria de arte contemporânea, está com inscrições abertas do edital para exposições de artistas ou coletivos artísticos da região do Vale do Paraíba, interessados em expor seus trabalhos em São José dos Campos. Serão aceitas propostas nas seguintes modalidades: pintura, fotografia, escultura, gravura, objeto, instalação, vídeo, entre outros. Cada projeto permanecerá em exposição por, no mínimo, 30 dias.

A inscrição é gratuita e deve ser feita por e-mail ([email protected]), com as informações e documentos previstos no edital (https://bit.ly/2Yu9MhE). Os projetos serão avaliados por uma Comissão de Seleção designada pela direção da Galeria Poente. Os artistas selecionados serão contatados via e-mail ou telefone (WhatsApp).

Publicidade

O período de inscrição seguirá aberto por tempo indeterminado, assim como a avaliação dos trabalhos. Já o período de exposição para os trabalhos selecionados será negociado junto ao artista e adequação a agenda da Galeria. Mais informações e esclarecimentos sobre o edital podem ser obtidos pelo e-mail [email protected] .

“Nossa região é rica em artistas visuais, mas tem poucos espaços expositivos. Estamos promovendo esse edital, visando realizar um mapeamento desses artistas, gerando mais uma oportunidade para eles compartilharem seus trabalhos, com possibilidade de expor em uma galeria comercial”, ressalta Paulo Henrique Rosa, proprietário da Galeria Poente.

Para Cidinha Ferigolli, artista plástica há 35 anos em São José dos Campos, a iniciativa é um momento único para artistas da região. “Vejo a Galeria, não só como um importante espaço de exposição, mas também de oportunidade de encontro de quem faz arte. São momentos únicos para o artista, de interação, de troca ou simplesmente estar presente, já que na maioria das vezes é um trabalho bastante solitário”, conta Ferigolli.