Início Taubaté Comércio de Taubaté perde 355 vagas nos primeiros 4 meses de 2019

Comércio de Taubaté perde 355 vagas nos primeiros 4 meses de 2019

(Foto: divulgação/Assessoria de Imprensa)
Publicidade

O comércio varejista do município de Taubaté fechou os primeiros quatro meses de 2019 com um saldo negativo de 355 vagas formais de empregos. De acordo com os números divulgados pelo Sincovat (Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e região), no quadrimestre, o setor que mais perdeu vagas na cidade foram os supermercados (-156) e as lojas de vestuário, tecidos e calçados (-101).

Os dados compõem as pesquisas de emprego no comércio varejista, atacadista e setor de serviços do Estado de São Paulo (PESPs Varejo, Atacado e Serviços), apuradas mensalmente pela FecomercioSP, com base nas informações do Ministério do Trabalho, por meio do Caged, e pelo impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo.

Publicidade

O presidente do Sincovat e vice-presidente da FecomercioSP, Dan Guinsburg, alerta que o desempenho dos quatro primeiros meses de 2019 foi aquém do mesmo período de 2018, em razão da queda de confiança do empresário diante do baixo crescimento da economia e da demora nas tramitações das reformas Tributária e da Previdência no Congresso.

Além disso, é natural um comportamento negativo de vagas de empregos nos primeiros meses do ano, visto que há uma dispensa de temporários, principalmente em janeiro, devido as contratações extras para o período de final de ano.

Os levantamentos dos próximos meses (maio, junho e julho) indicam bons desempenhos em comparação ao mesmo período do ano passado, pois naquela ocasião estava ocorrendo a greve dos caminhoneiros, que impactou de forma negativa o mercado de trabalho, principalmente o comércio. Assim, os saldos devem ser positivos, mas ainda não haverá a recuperação total das vagas perdidas em anos anteriores.

O mercado de trabalho do comércio varejista de Taubaté é formado por 14.009 vínculos formais, sendo que os supermercados correspondem por 32% do total de empregos.