Início Destaque CCR NovaDutra completa 23 anos de operação e administração da via Dutra,...

CCR NovaDutra completa 23 anos de operação e administração da via Dutra, com redução no número de óbitos e acidentes na rodovia

Centro de Controle Operacional - CCO (Foto: Arquivo CCR NovaDutra)
Publicidade

A CCR NovaDutra completa, nesta sexta-feira (01/03), 23 anos de administração da rodovia Presidente Dutra, uma das mais importantes do país. A data também marca a redução de mortes e consequentemente de acidentes em mais de duas décadas de operação da rodovia.

No dia 1º de março de 1996, a CCR NovaDutra assumiu a administração da Presidente Dutra, com o compromisso de modernizar uma das estradas mais importantes do país por um período de 25 anos. Administrar a primeira grande concessão rodoviária brasileira trouxe uma responsabilidade a mais à empresa: provar que o negócio de concessão rodoviária daria certo.

Nos primeiros dias de concessão, era possível observar o estado da via Dutra. A estrada apresentava um cenário de deterioração, suas pistas estavam esburacadas, a sinalização era precária, o mato alto tomava conta do canteiro central, as defensas metálicas estavam retorcidas e muita sujeira se estendia ao longo dos seus 402 quilômetros. Além disso, os acidentes na Dutra matavam mais de 50 pessoas por mês.

Primeiro desafio: oferecer condições de tráfego

A Concessionária empreendeu um dos mais intensos cronogramas de obras da engenharia brasileira para a reforma de uma rodovia. Durante os 180 primeiros dias – período de trabalhos emergenciais – a Concessionária tinha de garantir condições adequadas de segurança e fluidez de tráfego aos usuários.

A cada semana, eram mantidos 100 novos pontos de obras ao longo de toda a Dutra. Foram realizados serviços de recuperação da pavimentação dos trechos mais críticos em toda a rodovia. Mais de um mil hectares de acostamentos e canteiro central foram roçados e capinados. Todos os viadutos, pontes e passarelas foram emergencialmente recuperados e limpos e foi colocada nova sinalização onde não existia. As placas existentes foram limpas e recuperadas. Somente em faixas de sinalização de pista foram implantados mais de 142 mil m², além de 176 quilômetros de novas defensas metálicas (guard rail) e de 28 quilômetros de barreiras rígidas.

O pioneirismo na execução de grandes obras e serviços e a transformação da velha Dutra para uma rodovia moderna e segura fortaleceu o processo de passagem de rodovias à iniciativa privada.

Recuperação e modernização da Dutra

Hoje, após investimentos de mais de R$ 20 bilhões advindos da concessão, entre obras, aquisição de equipamentos, operação e pagamento de impostos, a Dutra é uma nova rodovia. Quem trafega por seus 402 quilômetros de extensão não imagina toda a infraestrutura que a Concessionária implantou nesses 23 anos.

Entre as obras realizadas de março de 1996 a dezembro de 2018, destacam-se 94,6 quilômetros de pistas marginais, sendo: 41 km na Grande São Paulo, 28,6 na Baixada Fluminense e 25 km em outros trechos da rodovia; 376 quilômetros de muros de concreto, 38 novas pontes e viadutos, recuperação de 143 pontes, 86 viadutos, 26 passarelas e 21,9 milhões de m² de asfalto de pistas, trevos e acessos.

Para que tudo isso seja possível, a Concessionária conta com mais de dois mil colaboradores, entre diretos e indiretos, que trabalham para atender os usuários que realizam 858 mil viagens que ocorrem diariamente. O atendimento ao usuário, SOS usuário da Concessionária, conta com mais de 500 profissionais entre médicos, enfermeiros, agentes de atendimento pré-hospitalar e agentes de atendimento, que atuam no socorro médico e mecânico da via Dutra, 24 horas por dia.

Todo este aparato é comandado a partir do Centro de Controle Operacional, instalado em Santa Isabel, na Grande São Paulo, que monitora toda a extensão da rodovia com o total de 102 câmeras de TV (circuito fechado), 38 painéis de mensagens variáveis, sendo oito móveis e 804 telefones de emergência instalados a cada quilômetro, nos dois sentidos da via Dutra.

Redução de óbitos

Em 2018, a rodovia Presidente Dutra atingiu o menor índice de vítimas fatais no ano. Entre janeiro e dezembro do ano passado foram contabilizados 130 óbitos, o menor número desde o início da administração da rodovia pela CCR NovaDutra. Em 1996, primeiro ano da concessão, foram registradas 520 ocorrências, uma queda de 75% em 22 anos.

As estatísticas são ainda mais favoráveis considerando o aumento progressivo do volume de tráfego na rodovia, chegando a uma redução de 87% no índice de mortos. O número de acidentes também teve uma redução de 11% comparado ao ano de 2017: de 9.028 acidentes em 2017, para 8.054 acidentes em 2018.

Com equipes de resgate altamente treinadas e com ambulâncias e estruturas de atendimento e remoção alinhadas às mais modernas do mundo, a concessionária leva menos de quinze minutos, em média, para que uma de suas unidades de resgate atenda a um chamado de emergência. As campanhas de conscientização realizadas mensalmente pela Concessionária, com distribuição de folhetos informativos e instalação de faixas com dicas de segurança e mensagens nos Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs), além da CCRFM 107.5 NovaDutra, um importante canal que leva informação em tempo real sobre as condições de tráfego da rodovia, dicas diárias de direção segura e informações, são ferramentas que contribuem para a conscientização dos motoristas da via Dutra e na redução de acidentes.

Novas melhorias

Melhorias viárias são realizadas periodicamente pela CCR NovaDutra, com o objetivo de proporcionar cada vez mais fluidez de tráfego, segurança e conforto para os usuários que trafegam pelos 402 quilômetros da rodovia Presidente Dutra. Em 2019 a Concessionária realiza investimentos na modernização de pontes e viadutos e construção de passarelas, além de implantar barreiras rígidas de concreto.

Outro dispositivo importante para a segurança viária são as telas antiofuscantes, dispositivo metálico que minimiza o ofuscamento do campo de visão causado pela luz dos faróis dos veículos que trafegam no sentido oposto, além de inibir a travessia de pedestres fora das passarelas. No ano passado foram implantados mais de 57 quilômetros de novas telas. Desde o início da concessão a rodovia contempla com 187 quilômetros de telas implantados.

Em 2018, a CCR NovaDutra entregou 15 novas passarelas nos 402 quilômetros da via Dutra, sendo 6 na Baixada Fluminense, três no Sul Fluminense, três no Vale do Paraíba e outras três no Alto Tietê. Atualmente, existem mais cinco passarelas em execução, ao longo da rodovia. Elas estão sendo construídas nos municípios de Queimados, Seropédica, Arujá (2) e Pindamonhangaba.

Responsabilidade social e ambiental

Ao longo dos anos, a CCR NovaDutra também investe no desenvolvimento dos municípios lindeiros à rodovia por meio de ações de responsabilidade social que beneficiam usuários e comunidades. Atualmente, a Concessionária apoia instituições por meio de leis de incentivo, em projetos culturais, esportivos, ambientais, educativos e de saúde.

Destaque para os projetos de investimentos próprios, como o programa Caminhos para a Cidadania, que já formou mais de 1 milhão de alunos na via Dutra; o programa Estrada para a Saúde e o Posto Odontológico, que visam ao desenvolvimento educacional e à qualidade de vida dos motoristas.

O Caminhos para a Cidadania leva informações sobre educação de trânsito para alunos da 4ª e 5ª série das redes públicas municipais de ensino. Os educadores são capacitados por meio de encontros pedagógicos e tanto os professores, como os alunos, recebem material didático exclusivo para trabalhar em sala de aula. Após 14 anos de realização, o programa formou 1 milhão de alunos e 37 mil professores – somente em 2018, foram 128 mil alunos e 5.500 professores de escolas municipais das cidades lindeiras à rodovia.

Uma equipe formada por médicos, enfermeiros e estudantes da área de Saúde oferece exames clínicos gratuitos aos caminhoneiros, além de orientações para melhorar o dia a dia do profissional do volante, dentro do programa Estrada para a Saúde Empresas. Desde 2001, o programa realizou mais de 47 mil atendimentos, como aferição de pressão arterial, avaliação de risco cardíaco, testes de glicemia, visão e colesterol, vacinação e atendimento médico.

O motorista profissional também tem como cuidar da saúde dentária por meio do Posto Odontológico. Instalado em Roseira (SP), o local oferece tratamento dentário gratuito para caminhoneiros, que inclui atendimento de urgência e procedimentos preventivos. Somente em 2018 foram 5.631 procedimentos realizados. O objetivo é ampliar o acesso dos motoristas de caminhão aos tratamentos e, por consequência, melhorar a qualidade de vida desses profissionais.