Início Destaque Julho Amarelo: Lorena alerta para prevenção e riscos das hepatites virais

Julho Amarelo: Lorena alerta para prevenção e riscos das hepatites virais

Publicidade

Julho foi adotado pelo Ministério da Saúde, como o mês de luta e prevenção das Hepatites Virais. Por isso, a Prefeitura de Lorena terá uma série de atividades diferenciadas para conscientizar a população sobre a prevenção das infecções.

Ao longo do mês, serão intensificadas as informações quanto à importância do diagnóstico precoce das hepatites nas unidades de saúde da cidade. Além disso, no dia 21 de julho, a Secretaria de Saúde fará uma ação especial de mobilização na praça Dr. Arnolfo Azevedo, das 8h às 12h. Na data, em uma parceria do Programa de Infecções Sexualmente Transmissíveis, Hepatites Virais e AIDS com enfermeiros da Atenção Básica e do Lions Clube, serão disponibilizados testes de Hepatite B e C, além de abordagens e atividades educativas sobre o tema. O público-alvo prioritário da campanha envolve pessoas maiores de 40 anos, usuários de drogas injetáveis, diabéticos e pessoas com insuficiência renal.

Sobre a doença:

Grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é a inflamação do fígado. Pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas, quando estes aparecem, podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjôo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite.

Em Lorena, os maiores registros são de Hepatite C. De 2016 até o momento, foram 49 notificações da doença, sendo 31 tratados com cura. Somente em 2018, foram 14 notificações da doença. Atualmente, o tratamento dura de 3 a 6 meses, com medicação via oral. O teste pode ser feito durante todo o ano em qualquer unidade de saúde da cidade e o diagnóstico sai em até 10 minutos. Adolescentes a partir de 15 anos podem fazer a testagem.

Dicas de prevenção:

– Evite o contato com sangue.
– Não compartilhe alicates de unha, lâminas de barbear ou depilar e escovas de dente.
– Use sempre preservativo (camisinha) nas relações sexuais.
– Faça o teste gratuito.
– Vacine-se contra o tipo B (em três doses).