Início Pindamonhangaba No dia Mundial da Água, bairro de Pindamonhangaba fica completamente inundado

No dia Mundial da Água, bairro de Pindamonhangaba fica completamente inundado

COMPARTILHAR
Créditos: Divulgação

O bairro Chácara Galega, na região central de Pindamonhangaba, acordou no último dia 22 (dia mundial da água) completamente inundado. As fortes chuvas da madrugada fizeram a água subir mais de um metro e meio, derrubando muros, danificando a pavimentação urbana, retirando o calçamento e áreas verdes e afetando a vida de 12 famílias que moram no bairro. Por pouco, carros também não foram arrastados. As recorrentes inundações acontecem a anos, em especial no cruzamento da rua dos Bentos com as ruas Major José dos Santos Moreira e Ignácio Henrique Romeiro na altura do número 16.

O problema, vivenciado há mais de 20 anos, ainda não tem previsão de solução pela prefeitura. A anos um projeto de lei tramita na Câmara de Vereadores da cidade para a reforma da tubulação das galerias de águas pluviais. Mesmo que os órgãos técnicos tenham realizado inspeções anteriormente, a tubulação de água da rua segue em condições precárias, não dando vazão ao volume das chuvas. Dentro das casas, a água trouxe terra e esgoto aos cômodos, destruindo móveis, roupas e eletrodomésticos. O problema poderia ter sido pior, visto que a água ficou à cinco centímetros das tomadas de energia, o que poderia causar mortes.

Com a inundação, houve a proliferação de caramujos africanos, causadores de doenças no trato gastrointestinal, meningite e esquistossomose, além de doenças causadas pelo contato com a água de esgoto. Segundo a moradora Laila Gama, “precisamos urgentemente de uma inspeção minuciosa da defesa civil, e a reforma da tubulação de esgoto da rua, garantindo assim integridade dos imóveis e a segurança dos moradores. ”

As famílias no bairro solicitam ajuda urgente dos órgãos responsáveis e da sociedade civil da região. Além dos danos materiais, os entulhos acumulados geram um alto risco para a saúde dos moradores, visto a proliferação de mosquitos causadores de doenças como a dengue e a febre amarela.

Diante do ocorrido foi protocolado um requerimento para a solução do problema e indenização por parte dos moradores, mas o problema está longe de ser solucionado.